Na insistência, Athletico supera em casa o Metropolitanos pela Sul-Americana

Futebol Latino
·3 minuto de leitura
Brazil's Athletico Paranaense Renato Kayzer celebrates after scoring against Venezuela's Metropolitanos during the Copa Sudamericana football tournament group stage match between at the Joaquim Americo Guimaraes stadium in Curitiba, Brazil, on April 28, 2021. (Photo by RODOLFO BUHRER / various sources / AFP) (Photo by RODOLFO BUHRER/AFP via Getty Images)
Brazil's Athletico Paranaense Renato Kayzer celebrates after scoring against Venezuela's Metropolitanos during the Copa Sudamericana football tournament group stage match between at the Joaquim Americo Guimaraes stadium in Curitiba, Brazil, on April 28, 2021. (Photo by RODOLFO BUHRER / various sources / AFP) (Photo by RODOLFO BUHRER/AFP via Getty Images)

Em jogo de características complicadas para o Athletico-PR com a necessidade de assumir o protagonismo e furar uma defesa bastante sólida, o Furacão bateu por 1 a 0 o Metropolitanos-VEN na segunda rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana, marcando já na segunda etapa com Renato Kayzer.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

MARTELANDO

A ideia apresentada pelo rubro-negro era bastante clara no sentido de trabalhar a posse de bola tentando trocar passes e se mexer rapidamente para furar o intenso bloqueio de nove jogadores feitos pelos venezuelanos no 5-4-1. Estratégia, aliás, que o Metropolitanos já havia deixado claro ser de sua preferência na fase anterior aos grupos quando deixou pra trás os compatriotas do Puerto Cabello.

Leia também:

Porém, enquanto o Athletico tinha dificuldade de bater em gol de forma perigosa o suficiente para fazer Schiavone efetivamente trabalhar (conseguindo somente dois chutes nesse estilo com Vitinho e principalmente Abner), na etapa inicial o Metro conseguiu sua chegada mais perigosa com o lateral-esquerdo Cova batendo forte, de fora da área. Além da ótima defesa de Santos no canto esquerdo baixo, a zaga teve trabalho para afastar o problema.

SE DE UM LADO NÃO FEZ...

Foi justamente quando o Furacão não estava tão superior ao adversário e chegou a ver os venezuelanos chegarem de maneira clara onde Cova perdeu um gol frente a frente com Santos que o tento de abertura do marcador acabou saindo.

Depois de um lançamento muito bem feito pelo zagueiro Thiago Heleno nas costas da zaga adversária, o lateral Khellven cruzou de primeira e Renato Kayzer apareceu com o oportunismo necessário para tocar de cabeça pro fundo das redes.

FICOU DIFÍCIL PROS VISITANTES

Diante de um panorama onde o time de Caracas já teria de sair com mais ímpeto para o ataque tentando buscar ao menos um ponto, o centroavante Bustillo acabou agredindo Kayzer dentro da grande área na disputa de corpo a corpo na frente do árbitro uruguaio Gustavo Tejera. O dono do apito não teve dúvidas e puxou o cartão vermelho direto, deixando os visitantes com um homem a menos.  

Mesmo em meio a essas dificuldades, o Metro conseguiu formular uma excelente jogada com Mancín aparecendo com liberdade suficiente para bater ao lado de Santos, mas tirando demais da meta. Assim, o Furacão acabou assegurando o segundo resultado positivo consecutivo na Copa Sul-Americana.

FICHA TÉCNICA DA PARTIDA
ATHLETICO-PR 1x0 METROPOLITANOS-VEN

Local:
Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data e hora: 28/04/2021 - 19h15 (de Brasília)
​Árbitro: Gustavo Tejera (URU)
Assistentes: Santiago Fernández (URU) e Raúl Orellana (CHI)
Cartões amarelos: Nikão, Paulo Autuori (ATH); Cova (MET)
Cartões vermelhos: Bustillo (MET)

GOLS: Renato Kayzer (8'/2°T) (1-0)

ATHLETICO-PR (Técnico: Paulo Autuori)

Santos; Erick (Christian, aos 33'/2°T), Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner Vinícius; Richard, Léo Cittadini (Khellven, no intervalo) e Fernando Canesin (Yago, aos 23'/2°T); Nikão, Vitinho (Reinaldo, aos 40'/2°T) e Renato Kayzer (Matheus Babi, aos 40'/2°T).

METROPOLITANOS-VEN (Técnico: José María Morr)

Schiavone; Bolívar (Colmenarez, aos 44'/2°T), Ferro, Pabón (Mancín, aos 32'/2°T) e Cova; Bahachile, Falcón, Larotonda (Gabriele Rosa, aos 33'/2°T), Flores e Martell (Soto, aos 14'/2°T); Bustillo.