Na contramão, Chelsea rejeita redução salarial e pede apoio a causas sociais

Goal.com

Na contramão do que vem sendo adotado por diversos times, inclusive da Premier League, o Chelsea, em comunicado oficial, anunciou que não vai reduzir o salário de seus funcionários durante a crise de Covid-19 para ajudar na administração do clube. 

O corte nos salários, principalmente de jogadores, tem sido algo muito discutido - e polêmico - dentro da Premier League e do mundo do futebol como um todo, com as fontes de renda dos clubes caindo exponencialmente com a paralisação do esporte. 

Para fechar as contas, alguns times, como o rival dos Blues, Arsenal, pediram aos seus atletas que sacrificasse parte de seus pagamentos para ajudar o clube. Mas o Chelsea fez diferente, ao invés de reduzir os salários, o time pediu que seus jogadores ajudassem causas de caridade: "No momento, a primeira equipe masculina não estará contribuindo financeiramente para o clube e, em vez disso, a diretoria orientou a equipe a concentrar seus esforços em apoiar outras causas de caridade".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No comunicado oficial, o clube afirmou que encontrou uma solução que fosse boa para todos: "Representantes do conselho do Chelsea recentemente mantiveram extensas conversas com a primeira equipe masculina para discutir como podem contribuir financeiramente para o clube durante a crise do coronavírus. O objetivo dessas conversas foi encontrar uma parceria significativa para garantir a preservação de empregos para os funcionários, compensar os fãs e participar de atividades por boas causas".

O clube disse que, conforme a crise for tomando outras formas, vai voltar a conversar com seus jogadores sobre o que será feito em diante. 

Além disso, o Chelsea informou não estar planejando nenhum tipo de ação que possa prejudicar seus funcionários. "Não vamos tirar proveito do atual esquema de retenção de empregos de coronavírus do governo, que é executado até 30 de junho”, afirma o clube. Não estamos planejando licenças gerais para nossa equipe que continua recebendo 100% do seus salários atuais”.

Quanto aos torcedores o clube informou que vai gerar créditos para aqueles que tinham ingressos para as partidas em Stamford Bridge e que vai reembolsar os 3 mil torcedores que tinham pacotes de viagem para ir à Alemanha acompanhar o confronto das oitavas de final da Liga dos Campeões , contra o Bayern de Munique, jogo marcado o dia 18 de março.

Leia também