A Nação solta a voz! Fla joga por música também na arquibancada

Vinícius Faustini
LANCE!


A projeção que o Flamengo ganhou após conquistar a Copa Libertadores e o Brasileirão em um intervalo de 24 horas agora é embalada por um som de expectativa. A música “Em Dezembro de 81”, na qual a Nação “pede o mundo de novo”, dita a contagem regressiva para a disputa do Mundial de Clubes. Porém, o Rubro-Negro pode contar com um bom presságio para o torneio.

Autor de “Primeiros Erros” (canção que inspirou a música cantada pela "Nação 12"), Kiko Zambianchi detalha que a música pode ser um bom trunfo.

– Olha, esta música sempre me surpreende. As pessoas que cantam, em bares, dizem que conseguem projeção depois que interpretaram a “Primeiros Erros”. O próprio Capital Inicial quando gravou, conseguiu um grande sucesso – disse, ao LANCE!.

Autor de músicas como “Eu Te Amo Você” e “Rolam As Pedras”, o compositor não escondeu seu fascínio ao ver a torcida rubro-negra cantando a “versão” para os estádios.

– Os amigos me passavam e eu ficava emocionado, em especial à medida que o Flamengo foi chegando perto da disputa pelo título da Copa Libertadores – em seguida, contou uma situação que dimensionou o embalo em torno da música.

– Eu voltei há pouco do Japão e ouvi “Em Dezembro de 81” cantada por rubro-negros. Embora eu seja santista, não dá para deixar de admirar a torcida do Flamengo – disse o cantor.

Kiko Zambianchi também acredita que a equipe comandada por Jorge Jesus vem, cada vez mais, “jogando por música” e citou até outra música de seu repertório:

– Ah, o Flamengo está afinado. Acho que se o Gabigol, Bruno Henrique, De Arrascaeta, continuarem assim, vai ser como diz a minha música: “Tudo é possível” (risos).

CANTOR DESTACA A 'MÃOZINHA' DOS EX-SANTISTAS















Bruno Henrique e Gabigol celebram gol contra o Fluminense
Bruno Henrique e Gabigol celebram gol contra o Fluminense
Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

'Bruno Henrique e Gabigol estão em momentos únicos', destaca o cantor (Alexandre Vidal / Flamengo)

O cantor também exaltou a colaboração do Santos, seu clube de coração, nas duas conquistas históricas do Flamengo. Kiko Zambianchi valoriza a grande atuação da dupla de artilheiros Gabigol e Bruno Henrique.


– Não dá para negar que o Santos ajudou o Flamengo, né?! Bruno Henrique e Gabigol estão em momentos únicos. O Rubro-Negro dá uma prova de que um bom investimento faz com que os jogadores sigam no clube – disse:

– Tomara que o Peixe e outros clubes aprendam com o Fla – completou.

'MINHA ADMIRAÇÃO PELA TORCIDA DO FLAMENGO FICOU MUITO MAIOR'






Kiko Zambianchi
Kiko Zambianchi

'É inegável que o atual Flamengo possui muitas qualidades', diz Kiko, sobre atual equipe (Foto: Reprodução/Instagram @zambianchikiko)

BATE-BOLA

KIKO ZAMBIANCHI

Cantor e compositor




‘Essa música costuma dar sorte’

1 - Você participou de mais de um clipe, inclusive, mais recentemente aconteceu no "Fantástico". Como foi esta experiência de acompanhar, ainda mais sendo santista?


Foi bem legal, mas no "Fantástico", e até em outros clipes que têm a "Em Dezembro em 81", eu cantei só a parte da letra do “Primeiros Erros”. Eu falei para o Ivo que sou santista, acompanho o Santos há muito tempo. Como compositor, estou muito grato pela homenagem. Mas, como torcedor do Santos, que frequenta a Vila Belmiro, achei que ia soar artificial se eu cantasse. Agora, minha admiração, minha simpatia pela torcida do Flamengo, ficaram muito maiores depois desta homenagem. Posso disser que torço muito por esta conquista do Mundial de Clubes. Vamos ver se a gente dá nossa ajuda.

2 - Os versos de “Primeiros Erros” falam muito de passado e presente. Quais lembranças você tem como espectador da geração do Flamengo que foi campeã da Copa Libertadores e do Mundial de 1981?

Ah, era um Flamengo que era praticamente base da Seleção Brasileira de Telê Santana. Que tinha Zico, Junior, Leandro... Um time de encher os olhos, de fazer torcedores de qualquer equipe adversária se admirarem. Não é à toa que ficaram na história.

3 - O início da canção fala em “Meu caminho é cada manhã, não procure saber onde estou...”. Que horizonte você espera para esta equipe comandada por Jorge Jesus?

Bom, este Flamengo pode ir bem e repetir o feito do meu Santos. É um elenco que possui muitas qualidades, jogadores talentosos de sobra. Senti apenas que, contra o River Plate, a equipe teve um pouco mais de dificuldades e penou para deixar de ser apático. Acho que, diante do Liverpool, os desafios serão mais complicados. Torço por um bom jogo e deixo um aviso: esta música costuma dar muita sorte.

KIKO ZAMBIANCHI SE DIZ ANSIOSO POR DUELO DE SEUS 'HITS' NO MUNDIAL












Torcida Flamengo - Maracanã
Torcida Flamengo - Maracanã

Flamengo e Liverpool podem reeditar final de 1981 (Foto: Paula Reis / Flamengo)

A contagem regressiva pela disputa do Mundial de Clubes rende ansiedade para Kiko Zambianchi não só nas quatro linhas. O cantor revela que a possibilidade da reedição de uma final entre Flamengo e Liverpool pode render um inusitado momento para ele como artista.

- Olha que coisa louca! A torcida do Flamengo já me deu esta honra de fazer uma música a partir da "Primeiros Erros". E a torcida do Liverpool costuma cantar "Hey, Jude", que eu também gravei! (risos). São duas músicas que foram muito emblemáticas na minha carreira, pelas quais tenho muito carinho - disse.

Zambianchi gravou "Primeiros Erros", de sua autoria, no ano de 1985. Alguns anos depois, interpretou "Hey, Jude", versão de Rossini Pinto para a canção de John Lennon e Paul McCartney.

Contudo, o cantor não fica em cima do muro sobre para qual equipe (ou música) escolherá na hipótese de uma final.

- Bem, por mais que eu admire os Beatles, seja fã do Paul McCartney, torço para que o Flamengo vá bem no Mundial. Por ser um clube brasileiro, por terem escolhido uma canção minha e também pelo momento histórico que a equipe está vivendo - afirmou.

‘É EMOCIONANTE VER TODO MUNDO CANTAR’, DIZ AUTOR DA PARÓDIA









Eric Barceleiro
Eric Barceleiro

Eric Barceleiro, ao lado da sua esposa, Lydia (Foto: Arquivo Pessoal)

Coube a Eric Barceleiro a missão de dar voz ao sonho da torcida do Flamengo por ver a equipe, novamente, brigando por um título mundial. O professor de Educação Física, que faz parte da organizada Nação 12, detalhou como surgiu a ideia de fazer uma música em homenagem ao mítico ano de 1981.

– A nossa torcida sempre procurou fazer cânticos sobre as conquistas do Flamengo. Em meio às sugestões, veio esta em 2011, de fazer uma letra para nossa maior conquista, a do Mundial Interclubes. Fui fazendo aos pouquinhos, mostrava a um amigo, outro, para ver se estava encaixando bem a melodia – disse.

Porém, ele reconhece que “Em Dezembro de 81” demorou um pouquinho para chegar às paradas de sucesso das arquibancadas.

– Aos poucos, a torcida foi cantando. Era um grupo bem tímido de início, depois do jogo. Mas depois, por volta de dezembro de 2017, a arquibancada cantou com tudo. Foi na primeira fase que o time veio bem, chegando a decisões. E eu, cada vez mais, via o pessoal descendo a arquibancada cantando mais forte. Até que a música viralizou de uma forma que me emocionou demais. Parece que não caiu a ficha – disse.

Barceleiro agora colhe os frutos da fama de ser o compositor da canção que enaltece uma das maiores gerações rubro-negras, com nomes como Zico, Junior, Adilio, Nunes, Andrade, Leandro e Mozer.

– Essa música me fez conhecer Zico, um deus do Flamengo. E o mais bacana é que ele sabia a música de cor e salteado! Também conheci o Ivo Meirelles, conheci outros ídolos eternos meus. E o que de início era uma forma de homenagear o meu time de coração tomou uma proporção fantástica – e, em seguida, recorda:

– Outro dia, vi uma pessoa em Manaus cantando. Nunca tinha passado pela minha cabeça isso, neste momento tão mágico da história do Flamengo. É muito emocionante – completou.

'VIVI UMA ALEGRIA MUITO GRANDE NA FINAL DA LIBERTADORES'













Torcida do Flamengo em Lima
Torcida do Flamengo em Lima

'É um momento que não dá para esquecer', destaca Barceleiro (Matheus Dantas/Lancepress!)

COM A PALAVRA

ERIC BARCELEIRO

Autor da letra de 'Em Dezembro de 81'

O Mundial de Clubes parecia uma coisa distante quando a música começou a emplacar nas arquibancadas, sabe? Só que, neste ano, a atmosfera está muito diferente, tanto na maneira como a equipe joga, quanto na sintonia dos jogadores com a Nação. É uma coisa que não dá para ninguém explicar!

Acho que a torcida começou a entender a postura que Jorge Jesus pediu à equipe. O Flamengo se dedica muito em campo, não se acomoda, quer sempre mostrar o melhor possível. Parece que ele veio disposto a apagar as dores que a Nação teve no passado e consagrar de novo a equipe.

E os jogadores sempre fazem questão de ir lá, cumprimentar a torcida,
cantam juntos... É um momento que não dá para esquecer mesmo como torcedor rubro-negro.

Na final da Libertadores, vivi outra alegria muito grande, mesmo não podendo estar lá, em virtude do meu trabalho. Eu já estava tenso com a pressão que o River Plate estava fazendo.

Aí vai a Nação e começa a cantar “Em Dezembro de 81” com tudo, sem parar, “engolindo” a torcida deles, que é muito forte quando canta. Foi um dos maiores privilégios da minha vida.

Eu tenho muito orgulho da Nação, da maneira como essa Nação fez a diferença. E o fato da música ter sido entoada na final da Copa Libertadores foi uma forma de eu estar presente no Monumental de Lima.

Agora, o Mundial de Clubes, que era uma obsessão, virou uma ansiedade. O pessoal já grita “Liverpool, pode esperar...”. Creio que, se o Flamengo mantiver a seriedade, tem condições de ir bem, por mais que os Reds sejam fortes.
















VEJA ABAIXO TRECHO NO QUAL JOGADORES HISTÓRICOS CANTAM 'EM DEZEMBRO DE 81'

CONFIRA A VERSÃO EM ESTÚDIO CANTADA POR IVO MEIRELLES, RODRIGO SANTOS, MC KORINGA, LEO JAIME, DADO DOLABELLA E KIKO ZAMBIANCHI


Leia também