Número de finalizações de Gabigol é sintoma de Flamengo que não evolui

Gabigol em ação contra o Ceará: atacante só finalizou uma vez no Castelão (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)


Uma única finalização em 90 minutos: a participação de Gabigol no jogo contra o Ceará, no sábado, é um dos sintomas do time que não evolui sob o comando de Paulo Sousa, mesmo com os principais nomes de ataque à disposição há mais de um mês. É um Flamengo de repertório ofensivo limitado, que não oferece chances ao camisa 9 no Brasileirão. São 13 finalizações (três certas) em seis jogos de Gabi.

Titular em cinco rodadas, Gabigol ainda entrou aos 26 minutos do primeiro tempo contra o Athletico. Portanto, esteve em campo por 510 minutos, nos quais soma 10 finalizações erradas e três certas.

Vale ressaltar que o atacante é o segundo maior finalizador do time no campeonato, atrás apenas de Arrascaeta, com 18 (nove certas).

Em termos coletivos, o Flamengo aparece como terceiro time com mais finalizações até a manhã deste domingo, antes dos jogos da tarde pela sexta rodada. O time de Paulo Sousa, com 89 finalizações (37 certas), está atrás do Palmeiras, com 95, e do Atlético-MG (128).

Assim, a participação de Gabi nas partidas tem chamado atenção. O centroavante tem saído muito da área para buscar a bola na intermediária. Contra o Talleres, pela Libertadores, conseguiu ótima assistência para Pedro, mas no Brasileirão não tem sido eficiente.

Nas seis rodadas que disputou, Gabigol só tem uma participação direta: fez um dos gols da vitória por 3 a 1 sobre o São Paulo, no Maracanã. Contra Atlético-GO, Palmeiras, Athletico, Botafogo e Ceará, não balançou a rede ou deu assistência para os companheiros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos