Número de bicicletas quadruplica em Niterói, e prefeitura prevê mais ciclovias

Um levantamento feito pela Coordenadoria Niterói de Bicicleta em parceria com a ONG Transporte Ativo indica que o número de ciclistas transitando nas principais vias da cidade quadruplicou nos últimos anos. De acordo com a pesquisa, nas Avenidas Roberto Silveira e Amaral Peixoto, por exemplo, por onde em 2015 passavam, respectivamente, 1.084 e 880 ciclistas por dia, foi registrada, este ano, a marca de 4.273 e 3.099 ciclistas.

Cultura e esporte: Biblioteca no pedal leva leitura à Região Oceânica

Ciclismo: Passeios noturnos atraem ciclistas em Niterói

Paula Saraiva, ciclista e moradora de Icaraí, afirma que as bicicletas deveriam ser consideradas o principal meio de transporte em curtas e médias viagens.

— A gente precisa movimentar o corpo. Vejo esses números com bastante entusiasmo. Acho que as pessoas deveriam optar ainda mais pelas bikes justamente pelo benefício que elas ajudam a proporcionar e também por não prejudicar a natureza com emissão de gases — opina.

Segundo a prefeitura, atualmente a cidade conta com 65 quilômetros de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas. E mais de 14 mil usuários estão cadastrados no Bicicletário Arariboia, primeira unidade pública e gratuita deste porte no país, situada no Centro.

Ampliação de ciclovias

Neste mês, foi assinada a ordem de início do projeto executivo da Ciclovia Parque da Lagoa de Itaipu, a última etapa da rota translagunar. A proposta prevê área para ciclismo do Túnel Charitas-Cafubá até as praias de Itaipu e Itacoatiara, através das lagoas.

Em agosto, novas ciclovias do lote 2 do Sistema Cicloviário da Região Oceânica começaram a ser construídas. O Executivo municipal planeja a implementação de novas ciclovias nos bairros de Camboinhas, Itaipu, Itacoatiara, Serra Grande, Santo Antônio e Piratininga. O lote 2 terá um total de 10,5 quilômetros de malha cicloviária.

Outra conexão da cidade é a obra interligando a rede cicloviária da Região Norte e ampliando-a — por meio da ciclovia existente na Rua São Lourenço e na Avenida Amaral Peixoto — até a parte já entregue do Trecho Sul da Avenida Marquês do Paraná que segue até Icaraí. A Alameda São Boaventura, importante artéria do município, também receberá melhorias urbanísticas e de acessibilidade, incluindo a implantação de ciclovia. Ainda não foi divulgado um calendário dessas obras.