Névoa em Xangai inviabiliza primeiro dia de treinos do GP da China de F1

Por Abhishek Takle
Névoa marca as primeiras sessões do Grande Prêmio da China, em Xangai. 07/04/2017 REUTERS/Aly Song

Por Abhishek Takle

XANGAI (Reuters) - O clima de Xangai praticamente inviabilizou as duas primeiras sessões de treino livre para o Grande Prêmio da China nesta sexta-feira, já que a baixa visibilidade na cidade impediu o helicóptero de apoio médico de decolar.

Os pilotos só conseguiram correr durante 22 minutos dos 90 minutos programados da sessão inicial, e a segunda foi totalmente cancelada.

A visibilidade na pista, localizada nos arredores de Xangai, estava boa o suficiente para os helicópteros voarem, mas o aumento da névoa na cidade impediria o helicóptero de apoio médico de pousar no hospital designado, que fica a 38 quilômetros do circuito, disse um porta-voz da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

As corridas e treinos da Fórmula 1 precisam ser interrompidos se a aeronave não puder voar ou se uma ambulância não puder chegar ao hospital designado em 20 minutos, de acordo com os procedimentos de segurança da FIA.

Só 14 pilotos completaram voltas cronometradas, e nem o favorito ao título, Lewis Hamilton, da Mercedes, nem Sebastian Vettel, da Ferrari, vencedor da prova que inaugurou a temporada, o GP da Austrália, marcaram tempos.

"Não é bom para os fãs que assistem pela TV e é até pior para todas aquelas pessoas nas arquibancadas, que gastaram dinheiro para vir da cidade para cá ou até de outros países", disse o tricampeão mundial Hamilton a repórteres.

"Precisamos trabalhar junto com a FIA e com a FOM (detentora dos direitos comerciais) para encontrar uma solução ou um plano alternativo de algum tipo quando tivermos circunstâncias como esta no futuro".

O adolescente Max Verstappen fez o melhor tempo da sessão de abertura, 1min50seg491, mesmo com umidade e chuvisco.

A volta do holandês foi mais de 15 segundos mais lenta do que a que deu a pole position ao campeão aposentado Nico Rosberg no ano passado, uma prova dos benefícios limitados da sessão abreviada.