'Não tenho data para parar', diz aos 94 anos 2º tenista mais velho do mundo

·7 min de leitura


O segundo jogador de mais idade do mundo no circuito mundial do tênis é brasileiro. Mais precisamente de Pacatuba, no Ceará. Aos 94 anos , José Nepomuceno, radicado em São Paulo, esbanja bom-humor e vitalidade e está na disputa da 35ª edição do Golden Lake Multiplan Seniors Internacional - Porto Alegre duas categorias abaixo, a partir de 80 anos.

Nepomuceno começou a dar as primeiras raquetadas na década de 70 quando foi morar em São Paulo e se tornou terceira classe pela Federação Paulista de Tênis. Jogou o circuito Seniors da Federação Internacional de Tênis quando tinha 70 anos de idade e retornou nesta temporada disputando sua segunda competição exatamente na Associação Leopoldina Juvenil, em Porto Alegre. Em idade só perde para o ucraniano Leonid Stanislavskyi, de 97 anos, com o qual brinca: "Sou o mais velho do Brasil e mais velho do mundo. O ucraniano é o gaiato que desafiou o Federer e jogou com o Nadal, ele é jogador avulso, de clube. Nadal como é solicito foi lá bater uma bola com ele. Não é federado. Eu sou federado e fui 3ª classe".

Nepomuceno tem uma frequência boa com o esporte e está sempre batendo sua bola perto de sua casa: "Tenho muita coisa para fazer na minha vida, eu tomo conta da minha mulher de 88 anos , eu moro a 200m do clube Pinheiros, às vezes me chamam pra completar uma dupla, eu faço a barba e em quinze minutos estou lá. Não levo com muita rigidez, não tenho aula com professor , poderia até jogar melhor . O tênis é exigente nesse sentido, você vê o Djokovic com dois, três treinadores por aí para jogar seu melhor nível."

Seu José veio para Porto Alegre para se manter no ranking e por adorar as terras gaúchas. E claro que a saúde está em primeiro lugar: "O tênis é o último esporte onde você tem condições de seguir jogando com mais idade . Você vê muitos ex-profissionais do futebol do São Paulo, Corinthians, do vôlei, do basquete e outros esportes jogando. Quando ficam velhos migram pro tênis. No meu clube jogo com vários que disputaram Olimpíadas. Ajuda bastante na minha saúde", afirma Napomuceno que gosta também de curtir um pouco a vida: "Quando vou jogar os torneios e bater minha bola é momento de dormir cedo, acordar cedo e ativo. Mas claro que quando posso gosto de tomar minha cachaça (risos)".

E existe algum momento para parar ? Para seu José, não: "A hora que eu começar a me machucar eu paro. Agora não tem ficado bom pois não consigo muitos pessoas próximas da minha idade para jogar no circuito ITF aqui (no Brasil) então preciso baixar e jogar contra mais jovens que estão na casa dos 80".

E como Nepomuceno encarou a COVID-19 ? Ele não contraiu adoença, já está com esquema vacinal completo, mas lamenta pelo tempo que ficou parado e por sua esposa que precisa de auxílio para andar: "Fiquei parado muito tempo por causa da COVID , não saía de casa, acabei engordando , minha mulher desaprendeu a andar, precisei comprar andador pra ela", afirma.

Nepomuceno, que veio sozinho para a capital gaúcha para disputar o torneio, não vai mais jogar eventos na temporada por questões logísticas: "Agora só ano que vem, para sair de casa preciso de ajuda dos meus três filhos para ficar com ela". Mas a esposa ou os filhos deixaram o senhor vir sozinho ?: "Eu nem pergunto. Sabe o que é ? Eu faço amizade com todo mundo."

O adversário nesta terça-feira de Nepomuceno foi o número 2 do Brasil na categoria 80 anos, José Silvestre, que disputa seu segundo torneio desde o início da pandemia. Ele faz sua primeira viagem para fora de Goiânia (GO) onde vive : "Comecei a jogar tênis por saúde, ter uma velhice mais confortável , mudou minha vida, comecei a praticar esporte e hoje só faço isso", diz Silvestre que venceu a COVID com autoridade como o próprio diz: "A COVID pra mim foi fácil, ganhei dela de 6/0 6/0 , peguei em janeiro desse ano e nem precisei der internado, só me cuidei no apartamento . Essa semana tomo a terceira dose da vacina".

E Silvestre, que foi tricampeão no torneio em sua terra natal, estava com saudades de voltar a viajar: "Há dez anos frequento esse torneio, já joguei em todas as quadras desse clube . Tinha uma saudade danada. Prazer que não tem preço. Fiquei até com vergonha, enfrentei o Nepomuceno de 94 anos e há dez anos atrás eu dizia que queria jogar até os 90 e, pois é, posso jogar além disso. Fiquei muito feliz, me surpreendeu".

Quem também está de volta ao circuito após a pandemia é o boliviano Ramiro Benavides, que até a última semana era top 10 do mundo no ranking dos 70 anos. Ele marcou 6/3 6/0 em sua estreia contra José Bohrer : "Esse foi meu primeiro jogo , é bom voltar a jogar, rever os amigos , a cidade e o clube que é lindo", diz: "Fiquei quatro meses sem poder treinar lá na Bolívia, depois disso liberaram as quadras só para vir jogar e ir embora, mas deu para treinar. É duro ficar sem treinar para nós, perde ritmo", aponta Ramiro, tricampeão da competição gaúcha em 2014, 2017 e 2019.

A terça-feira segue com jogos nas categorias categorias 60, 65, 70, 75 e 80 anos em simples e nas duplas.

A competição, que vai até o sábado, dia 6, tem 210 atletas de oito países (Brasil, Argentina, França, Itália, Jordânia, Chile, Canadá e Bolívia) e tenistas ex-número 1 na briga pelos títulos nas categorias que vão dos 30 até os 94 anos de idade lutando pelos 700 pontos no ranking mundial da Federação Internacional de Tênis.

A competição tem presenças de ex-número 1 do mundo como André Cury, Adelmo Evangelista, o Adelmo Federer, Ricardo Tomb e Rosangela Fritelli.

Entre outros top 10 na disputa, jogam o torneio o argentino radicado em Porto Alegre, Matias Epifanio, o gaúcho Marcelo Krebs, e o paranaense Mario Ventre.

O torneio tem presenças de mais gaúchos na briga pelo troféu, tais como Marcelo Maciel nos 50 anos. Ele é o atual 16º do mundo na categoria. Além dele, Miguel Kelbert, Eurico Carvalho, Gustavo Bohrer, estarão na disputa.

Resultados parciais desta Terça-Feira (02/11):

MS80 Jose Carlos SILVESTRE (BRA) [1] 2x0 JOSE NEPOMUCENO (BRA) 6/2 6/0
MS80 Francisco MENEZES COELHO FILHO (BRA) [2] 2x0 Jose Newton DE LIMA (BRA) 6/1 6/1
WS75 Lilian Eisele PARDO (CHI) [1] 2x0 Marta Bauer KEPPER (BRA) 6/0 6/0
WS75 Ilza Norma R ROCHA (BRA) [2] 2x1 Liria PERLIN (BRA) 6/0 4/6 6/1
MS75 Joao TRAMONTIN (BRA) [1] 2x0 covarda RAIMUNDO (BRA) 6/0 6/0


MS75 Francisco GOMES DA SILVA FILHO (BRA) [2] 2x0 Gabriel GALVEZ CARRASCO (CHI) 6/1 6/1
MS70 Ramiro Gonzalo BENAVIDES SARAVIA (BOL) [1] 2x0 Jose Carlos BOHRER (BRA) 6/3 6/0
WS70 Bernadete VIANA DOS SANTOS (BRA) [2] 2x0 Adivany SANTOS (BRA) 6/0 6/0
WS70 Regina FONTANELLI (BRA) [1] Renilda Goncalves Amaral RENILDA (BRA)
MS70 Pedro Mario Vicente FILHO (BRA) [3] venceu Mario LARANGEIRA (BRA) 3/6 6/2 Ret.

MS65 Alberto Eugenio KIELING (BRA) [6] venceu Roberto FRANCESCHINI (BRA) por 4/6 2/0 Ret.
MS70 Adalberto SPADINI (BRA) [4] 2x1 Heinz HASS (BRA) 4/6 6/0 6/2
MS70 Claudio MARQUES (BRA) [2] 2x0 Hamilton da rocha BINS (BRA) 6/3 6/1
MS65 Eduardo Augusto IZOLDI (BRA) [1] 2x0 Carlos Eduardo Freitas MAMEDE (BRA) 6/1 6/0
MS65 Ricardo GRUEBLER (CHI) [4] Helio NOVAES (BRA)

13:30
MS65 Carlos Eduardo Roth PAZ (BRA) [8] Lemos de etchepare JOAO THOMAZ (BRA)
MS65 Luiz Alberto Alves ROLLA (BRA) Nelson Jose Tartarelli GERMANN (BRA) [5]
MS65 Wong Kwong KWAN (BRA) [7] Sergio HANSEN (BRA)
MS65 Carlos Rogerio DOS SANTOS (BRA) Joao R. SUCUPIRA (BRA) [2]
WS60 Miriam KENAPPE (BRA) [2] Ingrid Renate TRETESKI (BRA)

15h
WS60 Rosangela FRITELLI (BRA) [1] Marilia BARUM (BRA)
MS65 José Roberto CABELLA (BRA) Luiz HEEREN (BRA) [3]
MS60 Ricardo Jean TOMB (BRA) [1] Ricardo BRANCO (BRA)
MS60 Denis DUMAS (CAN) [3] Andre Luiz RESCHKE BOHRER (BRA)
MS60 PEIXOTO, E or BRAMRAITER, R Fernando AVANCINE (BRA) [4]
MS60 Murillo GOMES (BRA) Roberto MARCOLLA CALVET (BRA) [2]

A 35ª edição do Golden Lake Multiplan Seniors Internacional de Tênis - Porto Alegre tem o patrocínio da Golden Lake Multiplan, conta com o co-patrocínio da Monte Bravo Assessoria de Investimentos e tem o apoio do Master Hotéis Cosmopolitan, o Hotel Oficial do evento. A realização é da Pró-Tênis Promoções Esportivas com chancela da Federação Internacional de Tênis e da Confederação Brasileira de Tênis.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos