"Não resta outra opção a não ser se levantar", diz Scaloni após derrota da Argentina para Arábia

O técnico argentino Lionel Scaloni lamentou a surpreendente derrota por 2 a 1 para a Arábia Saudita, nesta terça-feira, em sua estreia na Copa do Mundo do Catar, mas garantiu que não resta outra opção a não ser reagir.

A derrota "é difícil de assimilar porque em cinco minutos marcaram dois gols, foram as duas únicas oportunidades deles", disse Scaloni na coletiva de imprensa após o jogo no estádio Lusail.

"É preciso se levantar, vencer os outros dois jogos. Hoje é um dia triste, mas como sempre dizemos, cabeça erguida e para frente", disse o técnico argentino, se referindo aos outros duelos do Grupo C, contra México e Polônia.

Questionado sobre os motivos da surpreendente, Scaloni apontou o novo sistema de impedimento semiautomático.

"Os motivos foram milimétricos. Os impedimentos. Eles têm uma defesa avançada, deixam pouco espaço entre as linhas", explicou.

"Já sabíamos como a Arabia jogava. Aliás, estávamos trabalhando essa semana sabendo que a linha defensiva estava adiantada. Foram alguns milímetros, é o que a tecnologia tem, mas além disso, é o que eles fazem e fazem bem", disse Scaloni.

"Neste caso, o novo regulamento do impedimento automático te priva de um golo e nós aceitamos assim", acrescentou o treinador argentino, cuja equipe teve três gols anulados por impedimento.

Scaloni negou que haviam subestimado a Arábia Saudita e que tenham pagado caro por isso.

"Respeitamos 100% a Arábia como todo mundo, o resultado da partida que queríamos não veio. É um bom time, com jogadores tecnicamente capazes e fisicamente aptos", disse Scaloni.

"Estávamos bem, não podíamos vir melhor (com 36 jogos sem perder), mas o futebol, principalmente a Copa do Mundo e as grandes competições tem essas coisas, infelizmente hoje aconteceu assim", disse o técnico argentino.

"Não resta outra saída a não ser se levantar, não há outra leitura, nós vamos nos levantar, manter a cabeça erguida e vencer os dois jogos" que restam no grupo C, acrescentou.

Apesar de ser o primeiro jogo e ainda faltarem dois, Scaloni considerou que "nunca é bom perder, nem o primeiro nem o segundo, sobretudo dando a sensação de que o jogo nos escapa nos detalhes".

"Não há momentos para escolher quando perder, principalmente quando viemos numa dinâmica positiva, felizmente se é preciso pensar em algo é que ainda temos dois jogos pela frente e vamos conseguir”, concluiu.

gr/psr/aam