Não recusaram: veja os artistas que vão se apresentar no Qatar durante a Copa do Mundo

Black Eyed Peas, Ludmilla e Jungkook vão se apresentar no Qatar (Foto: AFP Reprodução / Facebook Ludmilla Reprodução/Twitter)


A apresentação de artistas durante o período da Copa do Mundo no Qatar é um assunto que movimentou as redes sociais nas últimas semanas por causa de Shakira e Dua Lipa, que recusaram a participação no evento de abertura. Enquanto o país anfitrião tem o histórico em desrespeitar os direitos humanos, muitos artistas e fãs dividem opiniões sobre os shows no maior evento de futebol do planeta.

Entre os artistas confirmados na cerimônia de abertura da Copa do Mundo, estão a estrela de Bollywood Nora Fatehi e o cantor americano Lil Baby. Ambos devem cantar o hino oficial do evento, "The World Is Yours To Take".

Além disso, a banda Black Eyed Peas, e os cantores J Balvin, Robbie Williams, Calvin Harris e Jungkook, também estão confirmados em shows no período da Copa. O último deles, inclusive, já foi visto no Qatar.

Outras grandes bandas pop como Post Malone e Maroon 5 também estão cotadas para se apresentarem no Qatar, mas os ingressos para os dois ainda não estão à venda.

Ao mesmo tempo, artistas brasileiros também estão confirmados para shows em Doha. São os casos de Ludmilla e Alok. Dessa forma, a cantora chegou a ser criticada por alguns fãs nas redes sociais, principalmente por ter um casamento homossexual com a influenciadora Brunna Gonçalves.

Em sua conta no Twitter, Ludmilla celebrou a oportunidade de se apresentar no "maior evento do mundo". Entretanto, a artista dividiu opiniões de seus fãs nas redes sociais.

- Finamente posso contar pra vocês que no mês que vem nos vemos no palco do maior evento do mundo, a Copa do Mundo FIFA em Doha. Só vai dar o Brasil. A nossa Seleção Brasileira em campo e a Rainha da Favela com Budweiser no palco. estou muito feliz com o convite! - escreveu a cantora.

Após o anúncio, um seguidor da cantora rebateu a decisão de Ludmila e falou em "dinheiro em primeiro lugar".

- Aí não, né, para quem se diz defensora dos direitos das mulheres e das pessoas LGBTQIA+, cantar em um país onde a homossexualidade é crime e mulheres quase não têm direitos. No fim das contas dinheiro em primeiro lugar e os ideais é só para inglês ver - escreveu um dos seguidores da cantora.

Por outro lado, Ludmilla não rebateu qualquer tipo de comentário e nem se pronunciou publicamente sobre o assunto.

Um pouco mais distantes das polêmicas, três grandes festivais com DJ's mundiais também vão agitar o período da Copa do Mundo no Qatar. É onde ícones da música eletrônica como Alok, David Guetta e Tiesto, dentre outros irão se apresentar. Os festivais são: Daydream, Aravia e Arcadia.

ARTISTAS SE RECUSAM A PARTICIPAR DE EVENTOS NA COPA

Dentre os nomes que se recusaram a se apresentar durante o período da Copa estão Dua Lipa, Rod Stewart e Mel C. Além disso, a TV espanhola afirma que Shakira também negou a participação na cerimônia de abertura, mas ainda há possibilidade da cantora participar de algum evento no Qatar, o que ainda não está confirmado. A artista virou sucesso mundial com sua música "Waka Waka" na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

A primeira a se pronunciar publicamente foi Dua Lipa. A artista se posicionou por meio de seu Instagram para negar os boatos sobre um possível show no Mundial e afirmou que pretende visitar o Qatar somente quando o país cumprir todas "as promessas de direitos humanos que fez quando ganhou o direito de sediar a Copa".

- Existe muita especulação de que eu me apresentarei na cerimônia de abertura da Copa do Mundo do Qatar. Eu não me apresentarei nem estive envolvida em nenhuma negociação para me apresentar. Estarei torcendo para a Inglaterra de longe e espero visitar o Qatar quando ele cumprir todas as promessas de direitos humanos que fez quando ganhou o direito de sediar a Copa - escreveu Dua Lipa em seu Instagram.

Na sequência, o cantor Rod Stewart concedeu uma entrevista ao jornal britânico "The Sunday Times", e revelou que recusou mais de R$ 1 milhão para se apresentar no Qatar ao afirmar que "não é certo ir" para o país.

- Eles me ofereceram muito dinheiro, mais de 1 milhão, para tocar lá, quinze meses atrás. Eu recusei - disse o artista que ainda ressaltou que "teria sido bom" tocar sua música "The Killing of Georgie" durante o Mundial, que narra o assassinato de um amigo gay na década de 1970.