'Não ajuda', diz Koeman após dirigente afirmar que teria sido bom ter vendido Messi

·2 minuto de leitura
Ronald Koeman volta ao clube que ajudou a conquistar a Copa da Europa em 1992

O treinador do Barcelona, Ronald Koeman, afirmou nesta sexta-feira que declaração do presidente da comissão de gestão do clube catalão, Carles Tusquets, indicando que teria sido bom se Messi tivesse sido vendido, "não ajuda" a criar um clima tranquilo na equipe.

"Os comentários de fora não me interessam e os de dentro do clube não nos ajudam a ter tranquilidade para fazer o nosso trabalho, que é vencer os jogos", disse Koeman na coletiva de imprensa antes do duelo com o Cádiz, no sábado, pelo Campeonato Espanhol.

Koeman se expressou dessa forma depois que Tusquets disse em uma entrevista na quinta-feira que "financeiramente falando, teria vendido Messi no verão (no hemisfério norte). Financeiramente, teria sido um bom negócio".

"Não podemos controlar as afirmações de fora, mas as de dentro do clube acho diferente", insistiu Koeman, lembrando que "conhecemos a situação de Messi (que cumpre seu último ano de contrato) e é ele quem deve decidir o seu futuro".

O técnico holandês considerou que as declarações de Tusquets são "uma opinião pessoal e respeito qualquer opinião, mas Messi tem esta última temporada com o Barça e ele vai decidir o seu futuro. Espero que seja aqui."

Questionado se gostaria de ter Lionel Messi e Neymar juntos, depois que o brasileiro afirmou que quer jogar com o craque argentino novamente, Koeman disse: "Não gosto de falar individualmente, mas como clube, como treinador, como o torcedor você sempre deseja os melhores jogadores do mundo ".

Sobre a delicada situação financeira do Barça, que levou Tusquets a afirmar que os jogadores não serão pagos em janeiro, Koeman limitou-se a afirmar que "os jogadores e eu como treinador chegamos a um acordo com o clube".

“Não sei mais sobre números, não é meu trabalho, meu trabalho é preparar a equipe, jogar bem e vencer”, acrescentou o holandês, que manifestou o desejo de que o público volte aos estádios em breve.

"Todos os países estão olhando como ter torcedores nos estádios, depende da saúde, a questão da covid-19", disse o treinador do Barça, mostrando sua esperança de que "em breve teremos espectadores" nas arena.

gr/pm/lca