Não é a primeira vez: Gabigol promoveu 'festinhas' na pandemia e foi cutucado por vizinhos

LANCE!
·2 minuto de leitura


O atacante Gabigol, do Flamengo, foi flagrado e levado à delegacia em São Paulo, neste domingo, por estar em um evento com mais de 200 pessoas em um cassino. Liberado para prestar contas em outro momento sobre o caso, porém, o artilheiro do Rubro-Negro, que está de férias, já teve seu nome ligado em outras aglomerações. Uma delas recebeu, inclusive, reclamações de vizinhos.

+ Veja a tabela do Cariocão 2021

MORADORES RECLAMAM DAS FESTAS DO ATACANTE
Logo no começo da pandemia, em maio de 2020, o jogador estaria "abusando do barulho" durante o isolamento social com a pandemia de coronavírus, segundo alguns vizinhos do atleta. Ele, que morava um condomínio de alto padrão na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, estaria usadando sua casa constantemente para dar festinhas, de acordo com o jornal "O Dia".

- Gabigol tá fazendo festinhas na casa dele e quebrando a quarentena. Moro no condomínio dele e tem sido frequente, muita menina e amigos. Ontem (no Dia das Mães de 2020) fez uma live rápida e estava alterado. O barulho estava insuportável. Rolou até 6h - revelou um dos moradores.

ROMÁRIO E GABIGOL CURTIRAM FARRA JUNTOS

Outra polêmica, desta vez de maiores proporções, também carrega o nome do atacante. Em um evento especulado de ser para mais de 300 pessoas aconteceu e Gabigol estava em fevereiro de 2021. A megafesta promovida pelo ex-jogador de Vasco, Flamengo e Fluminense Romário, que é político atualmente, reuniu também a cantora Ludmilla e outros ex-atletas.

A festa de 55 anos do Baixinho ainda contou com uma curiosidade: era proibido o uso de aparelhos telefônicos. Uma jovem foi flagrada com um celular na calcinha, além da festa ter ainda uma cena aleatória. Em determinado momento da celebração, que, segundo o Extra, não seguiu rigidamente protocolos de segurança contra Covid-19, Gabi quase caiu do palco por motivo inusitado.

HORA DA VIRADA

Seguindo o exemplo do ex-cunhado Neymar, o atacante também foi envolvido, em dezembro, em outro caso de desrespeito com os mais de 270 mil brasileiros que morreram de Covid-19 no país. Segundo o portal Metropoles, Gabigol iria realizar uma festa de final de ano para comemorar o Réveillon em uma mansão no bairro do Joá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Entretanto, o centroavante rubro-negro estaria prezando pela privacidade total de sua confraternização. Por isso, Gabigol teria proibido qualquer postagem dos convidados em redes sociais durante a festa.

Campeão brasileiro pelo Flamengo 2020, Gabigol não foi diagnosticado com a doença e passou sem problemas pelos testes realizados frequentemente pelo clube. Ao todo, mais de 277 mil pessoas morreram em decorrência do coronavírus no Brasil, somando cerca de 2,195 milhões de contaminados em São Paulo.