Museu Pelé e Prefeitura de Santos são processados por aluguel de estátua

Estátua de Pelé foi emprestada em 2012 por artista plástico, que requer devolução.
Estátua de Pelé foi emprestada em 2012 por artista plástico, que requer devolução. Foto: (Miguel Tovar/LatinContent via Getty Images)

Envolvida em uma polêmica judicial, uma estátua do Rei Pelé, que fica exposta no Museu Pelé, que homenageia o maior jogador da história do futebol mundial, é caso de um processo feito pelo artista plástico Laércio Alves da Silva, autor da obra de arte, que buscou a Justiça contra o Museu e a Prefeitura de Santos.

Laércio requer que a estátua, emprestada para uma exposição no ano de 2012, seja devolvida ao verdadeiro dono. De acordo com o artista, a estátua foi transferida para o Museu Pelé no ano de 2014 e "foi ficando" até que ele perdeu a paciência: "A estátua foi ficando na posse do museu, mas não foi dada nenhuma autorização para exposição ou acertado qualquer valor em relação ao uso da obra de arte".

Leia também:

Uma das reclamações mais pertinentes de Laércio da Silva é de que não há, por vezes, menção à autoria da obra de arte, além de fazer duras críticas à administração do Museu por ter colocado uma máscara na estátua sem que ele fosse consultado e tivesse autorizado a mudança estética na peça produzida por ele.

De acordo com informações colhidas pelo portal UOL, pessoas ligadas ao Museu Pelé entraram em contato com os advogados que representam o artista plástico e informaram que a peça não está mais em exposição e pode ser retirada por Laércio. Já a Prefeitura de Santos, até o momento, não se pronunciou sobre o tema, nem apresentou sua defesa à Justiça.

No processo, o artista plástico pede indenização por danos morais e patrimoniais no valor de R$ 180 mil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos