Müller cobra arbitragem impecável contra o Real: "Não pode sentir pressão"

EFE

Madri, 30 abr (EFE).- Na véspera da partida de volta entre Bayern de Munique e Real Madrid pelas semifinais da Liga dos Campeões, o atacante Thomas Müller se mostrou exigente nesta segunda-feira com o desempenho da equipe de arbitragem diante da torcida espanhola no estádio Santiago Bernabéu.

Como motivo para a cobrança, o jogador citou a forma como o clube bávaro foi eliminado pelo mesmo rival nas quartas de final na última temporada, com dois gols resultantes de impedimentos não marcados, segundo ele.

"A gente se concentra no jogo e não quer exercer nenhuma pressão sobre o árbitro. Já existe muita. Todo mundo sabe os antecedentes, perdemos aqui com dois gols em impedimento", disse o alemão ao recordar a derrota por 4 a 2 que eliminou o Bayern na temporada passada.

Müller também mencionou o polêmico pênalti convertido por Cristiano Ronaldo que deu nos últimos minutos a classificação ao Real Madrid, que eliminou a Juventus no Bernabéu nas quartas de final deste ano.

"O pênalti que apitaram contra a Juventus foi muito comentado. O árbitro não pode sentir pressão pelo ambiente. Não pode se contagiar pelo ambiente e tem que apitar bem. É um atleta como nós e quer ter um bom rendimento", declarou.

Segundo Müller, todos os jogadores do Bayern sabem o que têm que fazer para eliminar o Real Madrid e "como fazê-lo". No entanto, lembrou que o time precisa ser eficiente, sem desperdiçar chances.

"Temos que aproveitar as chances de gol. Já dissemos isso depois da partido em Munique. Temos que estar famintos de gols. Tivemos muitos cruzamentos, faltas e escanteios. Temos que render mais. O jogo vai pegar fogo", explicou Müller, que nunca balançou a rede contra o Real Madrid.

Após a vitória por 2 a 1 na partida de ida, o clube espanhol terá a vantagem do empate e poderá até mesmo perder por 1 a 0 no Santiago Bernabéu nesta terça-feira para se classificar à final da Champions. EFE

jjl/vnm


Leia também