Muriqui espera sequência de jogos para ganhar ritmo no Vasco

O Vasco avançou à final da Taça Rio ao empatar com o Flamengo no fim de semana, por 0 a 0. Sem poder contar com Luís Fabiano e Thalles, o técnico Milton Mendes optou pela escalação de Muriqui no setor de ataque. O jogador admitiu que não é a sua posição de origem, mas que tem experiência na função.

“Não é a função que eu faço geralmente, mas durante algum tempo na China e no Catar acabei fazendo. Não é a que eu prefiro jogar, mas é a que eu joguei nas oportunidades que tive no Vasco e consegui me movimentar bem”, disse.

Muriqui ressaltou que precisa de uma sequência de partidas para adquirir ritmo de jogo. O jogador destacou que seu pensamento é ter o máximo de oportunidades possíveis com a camisa cruzmaltina na temporada.

“Meu ritmo de jogo está abaixo. Você não ganha isso de um dia para o outro. Precisa jogar, ter uma sequência. Quanto mais jogos eu puder jogar, vai me ajudar na evolução. E essa sequência pode vir agora. Estou trabalhando para isso. Meu pensamento é atuar o maior número possível de jogos”, declarou o atacante, que chegou a São Januário no início do ano.

O atacante foi contratado já com a pré-temporada em andamento, mas teve poucas chances até o momento. Muriqui revelou que chegou ao clube com um problema físico e precisou de mais tempo para chegar ao mesmo nível dos demais companheiros.

“O problema é que cheguei com um problema físico e demorei para fazer os mesmos treinos dos demais. Por essa limitação, perdi boa parte da pré-temporada. Quando consegui igualar, comecei a ter evolução física, e isso me permitiu treinar melhor, fazer as coisas que sou acostumado a fazer. Agora estou tranquilo e mais confiante”, finalizou.

Muriqui pode permanecer como titular do ataque cruzmaltino na final da Taça Rio, neste domingo, contra o Botafogo, no estádio Nilton Santos. No entanto, a diretoria do Vasco ainda espera conseguir um efeito suspensivo para contar com Luís Fabiano na decisão.