Muricy defende profissionais do SP e culpa calendário por lesões do elenco

·2 minuto de leitura
Muricy Ramalho, acompanhando treino do SP no CT da Barra Funda. Foto Marcello Zambrana/AGIF
Muricy Ramalho, acompanhando treino do SP no CT da Barra Funda. Foto Marcello Zambrana/AGIF

O São Paulo vive uma série de lesões musculares, afetando o grupo de jogadores e diminuindo as opções para Crespo. O atacante Marquinhos foi a nova vítima, com um estiramento na coxa esquerda. Além do jovem, Luciano, Eder, Luan e Arboleda também estão no departamento médico. Marquinhos foi o 20º jogador a sofrer com o problema, desde a retomada do Campeonato Estadual, em abril. 

O coordenador-técnico, Muricy Ramalho, defendeu os profissionais são-paulinos das críticas sobre as recorrências clínicas no elenco.

"Não concordo. Isso não é exclusividade do SP. Vários times estão passando por isso, mesmo os que pouparam e tiveram férias. A gente vê jogadores importantes de fora. Não tem condições. Esse calendário é complicado. Mesmo se a gente não tivesse jogado forte no Campeonato Paulista, ia acontecer agora porque é muita coisa, são quase 50 jogos. Isso não existe, não tem treinamento, é só recuperação e colocar para jogar. As lesões são estatísticas, não só no nosso clube e em vários clubes. Não tem esse papo de que jogamos tudo no Paulista. Levamos muito a sério porque um clube como o SP, que ficou muito tempo sem ganhar, tem que levar a sério mesmo. O time fez o que tinha que fazer num calendário maluco. Vários jogadores que contratamos ficaram muito tempo sem jogar e tivemos que colocar para jogar pela qualidade e porque não temos muita gente. Isso aqui é uma loucura e você joga no limite mesmo", afirmou, em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes, com a presença do blog

Muricy também mostrou confiança no trabalho de Crespo, acreditando que o argentino tem vida longa no São Paulo. 

"No SP não tem burburinho. Nem escuto e tem que ter convicção no que estamos fazendo. Nem viajo com o elenco. Você não pode achar que quando ganha está tudo certo e quando perde está tudo errado. Aqui, a gente não fala depois com o Crespo. Ele é o técnico e acabou, porque o trabalho é muito bem feito. O futebol praticado desgasta demais, mas é o futebol que a comissão técnica gosta. Entrevistei dez treinadores e escolhemos um jovem com muita fome e conhecedor do que está fazendo. Tem que ter convicção, não adianta ficar trocando. Crespo tem contrato de dois anos e espero que ele cumpra", concluiu. 

O SP está nas quartas-de-final da Libertadores contra o Palmeiras e com a vaga encaminhada na Copa do Brasil, com a vitória de 2 a 0 sobre o Vasco, no primeiro confronto das oitavas-de-final. Na Série A do Brasileiro, o SP é 17º colocado com 12 pontos em 42 disputados e apenas 28,6% de aproveitamento. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos