Mulher que cobrou Bolsonaro no Alvorada é assessora de Fernando Holiday

Yahoo Notícias
Bolsonaro ouviu as críticas e depois pediu que a mulher saísse do Palácio do Alvorada.
Bolsonaro ouviu as críticas e depois pediu que a mulher saísse do Palácio do Alvorada.

A mulher que cobrou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na manhã desta quarta-feira (10) na saída do Palácio do Alvorada, em Brasília, é assessora de gabinete de Fernando Holiday (Patriota), vereador pelo DEM em São Paulo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Cristiane Damo Bernart, que se identificou como eleitora de Bolsonaro durante a fala, levou um cartaz ao presidente com os números dos mortos pelo novo coronavírus no Brasil e cobrou ações do governo.

Leia também

“Nós temos hoje 38 mil famílias com mortos por causa da Covid. E realmente, assim, não são 38 mil de estatística. São 38 mil famílias que estão morrendo neste momento, 30 mil pessoas que estão chorando. Como chefe da nação, eu fiz campanha para o senhor, acho até que o senhor me conhece. Eu sinto que o senhor traiu nossa população”, disse ela.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O momento foi gravado e divulgado nas redes sociais, mostrando depois a reação do presidente, que ordenou que ela saísse do Alvorada.

“Se você quiser falar, sai daqui, que você já foi ouvida. Cobre seu governador. Sai daqui”, disse o presidente. Bolsonaro ainda afirmou que o discurso da eleitora era demagógico e reclamou que o diálogo seria matéria na imprensa o dia todo.

A confirmação da ocupação do cargo público partiu do próprio vereador. No Twitter, Holiday publicou a reprodução de um documento no qual autorizaria Cristiane a se ausentar do gabinete nesta terça e ter o salário descontado, sem abono de falta.

Holiday, que também é coordenador do MBL (Movimento Brasil Livre), parabenizou a atitude de sua assessora. “A Cris Bernart, que protestou de forma corajosa contra o presidente hoje, é sim minha assessora. Mas, ao contrário do que o gado diz, ela não recebeu para isso. Não pertenço a mesma laia de quem usa dinheiro público para fazer manifestação. Segue a prova.”, escreveu Holiday.

Antes simpáticos ao presidente, o MBL tem se distanciado de Bolsonaro e feito críticas ao governo federal. Em abril deste ano, o MBL protocolou um pedido de impeachment contra Bolsonaro, destacando o cometimento de pelo menos três crimes de responsabilidade. O vídeo também foi postado nas redes do próprio movimento.

Leia também