Mulher atropelada por Marcinho, ex-Botafogo, morre em hospital no Rio

LANCE!
·1 minuto de leitura

Morreu nesta terça-feira, aos 66 anos, a professora Maria Cristina José Soares, segunda vítima fatal do atropelamento provocado pelo lateral-direito Marcinho, ex-Botafogo, no dia 30 de dezembro. Ela estava internada no hospital Vitória, na Zona Oeste do Rio. A informação foi publicada pelo 'Globo Esporte'.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Após o acidente, a professora realizou um procedimento cirúrgico nas duas pernas, mas teve o quadro agravado ao ser diagnosticada com Covid-19. Maria precisou ser intubada, teve uma piora clinica e acabou não resistindo. Ela era casada com a outra vitima fatal, Alexandre Silva Lima, que morreu ainda no local do atropelamento, na Zona Oeste da cidade.

Leia também:

Os professores Alexandre Silva de Lima e Maria Cristina José Soares tentavam atravessar a rua quando foram atropelados por um Mini Cooper. Sérgio Lemos de Oliveira, pai de Marcinho, confirmou em depoimento prestado na 42ª delegacia da Polícia Civil na manhã de segunda-feira que o filho conduzia o veículo, saindo sem prestar socorro.

No depoimento, Sérgio afirmou que Marcinho andava em baixa velocidade e não estava alcoolizado no momento do acidente que matou um homem e deixou uma mulher gravemente ferida. O jogador confirmou a versão do pai em depoimento prestado na mesma delegacia.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos