Muita posse, pouca eficiência: os números que ilustram a atuação ruim do Corinthians contra o Sport

·3 minuto de leitura


Muitas foram as críticas em cima da atuação do Corinthians na derrota para o Sport no último sábado, sendo que a maioria delas apontou para a falta de intensidade do time, algo difícil de se mensurar. No entanto, há outro aspecto mais concreto que pode ilustrar o pobre volume ofensivo da equipe: os números, que mostram muita posse e pouca eficiência. (fonte: Footstats)

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Confira as fotos da nova terceira camisa roxa do Corinthians

Uma das estatísticas que mais impressiona é a de passes trocados. Foram, ao todo, 659, sendo que 629 deles foram certos, ou seja, 95,5% de acerto. Isso não significa muita coisa, pois quem viu a partida sabe que a maioria desses passes foi no campo defensivo, sem verticalidade, sem objetividade, sem progressão, aqueles "passes de lado", que irritam o torcedor e não levam a lugar algum.

Com essa quantidade de passes, não é à toa que o Timão terminou o jogo com vantagem na porcentagem de posse de bola (61,08% contra 38,92% do Sport). No entanto, novamente, esse número não engana quem acompanhou os 90 minutos, uma vez que a equipe mais perigosa foi a pernambucana, que não teve qualidade transformar em gols, mas foi eficiente e abriu o placar.

Quando chegamos ao número de finalizações, aí sim temos um panorama bem claro do que faltou: volume ofensivo e finalizações. Foram apenas oito chutes, sendo somente três deles em direção ao gol. Número muito baixo, entre os piores dessa "Era" com a chegada dos reforços, que completou 11 partidas.

Para se ter noção, o Corinthians precisou trocar, em média, 78,6 passes certos até conseguir finalizar contra o Sport. Em uma comparação com o duelo com o Bahia (que jogou com um a menos durante todo um tempo), foram 659 passes certos trocados e 21 finalizações, média de 31,4 passes para um chute. Isso mostra o tamanho do volume ofensivo e da eficiência do time no jogo anterior.

Outro aspecto importante a ser observado é o número de desarmes. Diante do Bahia, com vantagem numérica em metade da partida e numa disputa de "ataque contra defesa" na maioria do tempo, o Timão fez 15 desarmes. Enquanto isso, em um duelo com igualdade de condições e que exigia mais "pegada" por parte dos alvinegros, foram somente 11 desarmes certos.

Por essas e outras, a partida do último sábado deve ficar na cabeça da comissão técnica por algum tempo, mostrando lições do que não fazer ou de que como não atuar nessas condições. Obviamente há outros aspectos a serem analisados, mas que não trazem uma explicação tão concreta quanto os números, como desgaste, nível de intensidade e movimentação individual.

Corinthians contra o Sport
​629 passes certos (95,5% de acerto)
30 errados
61,08% de posse de bola
8 finalizações (1 a cada 78,6 passes certos)
​3 finalizações certas
5 finalizações erradas
​11 desarmes certos

Corinthians contra o Bahia
​659 passes certos (94,4% de acerto)
39 passes errados
​64,67% de posse de bola
​21 finalizações (1 a cada 31,4 passes certos)
13 finalizações certas
8 finalizações erradas
15 desarmes certos

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos