Mudanças na zaga do Vasco indicam meta: correção de grave deficiência do time na Série B do Brasileiro

·1 min de leitura
Ricardo Graça e Leandro Castan devem deixar o Vasco enquanto Anderson Conceição e Luis Cangá estão chegando


De todas as mudanças dentro da reformulação que o Vasco passa para 2022, o miolo de zaga é o setor em que isso se mostra mais nítido. Por diferentes fatores, o grupo de jogadores da posição deverá ter características diferentes das que tiveram na última Série B do Campeonato Brasileiro. Percebe-se uma estratégia diferente após o fracasso na luta pelo acesso.

Luis Cangá, equatoriano encaminhado com o Cruz-Maltino, tem 1,90m; Anderson Conceição, que também negocia com o clube de São Januário, tem a mesma altura. Os zagueiros mais altos do Vasco na última temporada (Leandro Castan, Walber e Ulisses) têm 1,86m.

No caso de Anderson, a força no jogo aéreo é uma virtude conhecida na competição. Cangá, se confirmado, terá a primeira experiência em solo brasileiro, mas a segunda pior defesa da Série B sofreu muito pela fragilidade para cortar cruzamentos. Também porque o time era baixo.

-> Confira a classificação final da Série B do Campeonato Brasileiro

Ao mesmo tempo, Ricardo Graça está a caminho do Japão. O próprio Castan é outro que não deve ficar; e Miranda, suspenso preventivamente por doping, não está à disposição, obviamente. Outros jogadores além dos dois de nomes citados acima deverão chegar à Colina Histórica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos