Mudanças climáticas ameaçam Jogos Olímpicos de Inverno e futuro dos esportes na neve, aponta estudo

·1 min de leitura
Jogos Olímpicos de Pequim 2022

Por Muyu Xu e David Stanway

PEQUIM (Reuters) - As mudanças climáticas estão ameaçando os Jogos Olímpicos de Inverno e o futuro dos esportes de neve, tornando as condições muito mais perigosas para atletas e participantes, alertaram especialistas em um relatório divulgado uma semana antes do início dos Jogos de Inverno de Pequim 2022.

Os Jogos, que começam em 4 de fevereiro, serão os primeiros Jogos Olímpicos de Inverno a utilizar quase 100% de neve artificial, dispondo de mais de 100 geradores de neve e 300 canhões de neve para cobrir as pistas de esqui.

"Isso não apenas requer muita energia e água, pois produtos químicos são frequentemente usados ​​para retardar o degelo, mas também fornece uma superfície que muitos competidores dizem ser imprevisível e potencialmente perigosa", afirmou o relatório escrito por pesquisadores do Sport Ecology Group da Loughborough University, na Inglaterra, e pelo grupo ambiental Protect Our Winters.

O comitê organizador de Pequim publicou um relatório de sustentabilidade dizendo que o "sistema inteligente de fabricação de neve" dos Jogos pode usar 20% menos água do que os métodos tradicionais.

O estudo observou que as mudanças climáticas estão tornando a neve natural menos abundante em várias regiões do mundo e reduzindo a quantidade de água disponível para neve artificial, comprometendo os esportes na neve.

"O risco é claro: o aquecimento causado pelo homem está ameaçando o futuro a longo prazo dos esportes de inverno. Também está reduzindo o número de locais climaticamente adequados para os Jogos Olímpicos de Inverno", disse o relatório.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos