MPT investiga acusação de assédio moral contra presidente da Fundação Palmares

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Sérgio Camargo será investigado - Foto: Sérgio Lima
Sérgio Camargo será investigado - Foto: Sérgio Lima

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu investigação para apurar as denúncias de assédio moral contra o presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo. Ele foi acusado pelos servidores do órgão, de acordo com informações do G1.

Os relatos feitos ao MPT consideram que Camargo "estaria praticando perseguição ideológica a trabalhadores da Fundação que tenham opiniões e posições políticas e ideológicas distintas das suas, caracterizando possível prática de assedio moral".

Leia também:

De acordo com ofício enviado pela promotoria à Vara do Trabalho em Brasília, o MPT vai ouvir dez servidores e ex-funcionários da Fundação sobre as denúncias. Os promotores consideraram a apuração necessária diante da gravidade dos fatos noticiados.

Além disso, segundo o MPT, a Fundação Palmares recusou-se a enviar documentos e informações necessárias ao inquérito, como contatos de servidores e detalhes sobre o funcionamento do canal interno para recebimento de denúncias de assédio.

Na última quinta-feira, gestores da Fundação pediram demissão e justificaram apontando ingerências no órgão. De acordo com eles, pessoas de fora estariam influenciando em decisões da presidência.

Sérgio Camargo já foi interpelado pela promotoria no ano passado, quando precisou prestar esclarecimentos sobre uma declaração negando a existência do racismo e a importância da luta do movimento negro no país.