Presidente do Flamengo é denunciado por gestão fraudulenta e envio indevido de recursos ao exterior

·1 minuto de leitura


O Ministério Público Federal (MPF) denunciou Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, por gestão fraudulenta e envio indevido de recursos ao exterior. Além dele, outras quatro pessoas foram acusadas de atuar em uma operação financeira que resultou na perda de R$ 100 milhões a fundos de pensão de funcionários de estatais.

+ Dirigentes do Flamengo na Europa: veja quem são os alvos e outras opções interessantes no continente

A ação, que tramita na 10ª Vara da Justiça Federal, afirma que o esquema funcionou entre os anos de 2011 e 2016, antes de Landim assumir a presidência do Flamengo. Os denunciados atuaram no Fundo de Investimentos em Participações (FIP) Brasil Petróleo 1, que captou recursos da Funcef (aposentados da Caixa), Petros (da Petrobras) e Previ (do Banco do Brasil).

Os outros denunciados são: Demian Fiocca (ex-presidente do BNDES), Nelson José Guitti Guimarães, Geoffrey David Cleaver e Gustavo Peixoto. Caso sejam condenados, o grupo pode pegar pena de três a 12 anos de prisão, além do pagamento de multa.

+ Fla na cola do G-4: veja a tabela completa do Brasileirão

A assessoria do Flamengo preferiu não se manifestar sobre o caso e disse que o assunto não diz respeito ao clube.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos