Mourinho descarta contratação de Neymar: “É tentar arrombar um cofre”

Na última segunda-feira explodiu na imprensa europeia a informação de que o Manchester United estaria disposto a bancar a multa rescisória de Neymar junto ao Barcelona. Avaliada em mais de 200 milhões de euros (aproximadamente R$ 680 milhões), a cláusula seria paga para satisfazer um pedido do técnico José Mourinho. Entretanto, o próprio treinador informou que a negociação com o brasileiro não passa de especulação.

“É mera especulação. Procuro sempre ser objetivo e pragmático com os clubes e pedir aquilo que me pode ser dado. Acho que pedir Neymar é absurdo. Acho que um clube como o Barcelona não pode e nem vai perder Neymar. E apesar de o Messi ainda ser um jovem jogador, com anos pela frente, já está perto do 30 (anos), e o Neymar vai ser o grande jogador do Barcelona pós-Messi. Acho que é tentar arrombar um cofre. Impossível”, salientou em entrevista à Espn Brasil.

Com um currículo invejável, Mourinho coleciona títulos por alguns dos maiores clubes do mundo, como Porto, Internazionale, Chelsea e Real Madrid. Porém muitos ainda sentem falta de um trabalho do português em alguma seleção. Questionado se gostaria de comandar a Seleção Brasileira, o treinador que se autointitula “Special One” afirmou que seria apaixonante, mas ressalta que o cargo deve ser ocupado por um brasileiro.

“Eu acho que depois do Manchester United eu preciso de um trabalho mais fácil do que o do Manchester United (risos). E se calhar a seleção brasileira deve ser mais difícil. Obviamente seria apaixonante. Qualquer treinador quer trabalhar com os melhores clubes e melhores seleções. A seleção brasileira é obviamente a seleção líder de sucesso, obviamente com talento. Qualquer que seja a geração, o talento aparece sempre. Mas tenho que confessar que deve ser difícil. Em cada brasileiro há um treinador, em cada jornalista há um treinador melhor que o treinador. Acho que deve ser um país difícil de trabalhar, mas também apaixonante. Como eu sempre tive trabalhos difíceis, com nível de exigência… Se calhar, sim. Mas reconheço que a seleção brasileira é para treinador brasileiro”, opinou.

O comandante comentou ainda sobre as diferenças entre as Eliminatórias Europeias e as Sul-Americanas. Em sua visão, a competição do velho continente não passa de uma brincadeira, enquanto o torneio na América do Sul são verdadeiramente disputados.

“Os jogos de Eliminatórias na Europa me aborrecem. E os jogos de Eliminatórias na América do Sul me motivam. Eu gosto de futebol a sério, não para brincar. E nas Eliminatórias Sul-Americanas o futebol é sério. Há muitas seleções boas, do mesmo nível. Mesmo as que não são tão fortes têm como criar dificuldades, como a Bolívia. Na Europa as eliminatórias não são brincadeira. Todo mundo se classifica. Quem não se classifica direto, se classifica pela repescagem. Há uma diferença brutal entre os times. Tanto que acho que na América do Sul as eliminatórias são uma verdadeira competição ao longo dos anos”, afirmou Mourinho.