MotoGP: Recurso de Iannone é rejeitado e pena por doping sobe de 18 meses para quatro anos

Lewis Duncan
·3 minuto de leitura

A carreira de Andrea Iannone na MotoGP sofreu um fortíssimo golpe nesta terça, após o Tribunal Arbitral do Esporte (TAE) divulgar a sentença do recurso que tentava reverter sua condenação por doping. O piloto não apenas perdeu o recurso como também viu a pena subir de 18 meses para quatro anos.

Iannone foi suspenso pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM) no final do ano passado, quando ele testou positivo para um esteroide anabolizante proibido pelo regulamento durante o GP da Malásia.

Leia também:

MotoGP: Honda confirma volta de Márquez ao Mundial apenas em 2021 MotoGP: Dovizioso deve abandonar projeto de piloto de testes e tirar ano sabático em 2021 Viñales: "Nosso problema não é o Mundial, mas que estamos muito longe"

O italiano recebeu uma sanção de 18 meses após uma audiência na FIM em março, apesar da corte aceitar a versão da defesa de que ele havia sugerido a substância de modo acidental através de comida contaminada.

Iannone e a Aprilia entraram com um recurso no TAE, acreditando que casos similares do passado haviam criado um precedente ideal para que ele fosse absolvido. Porém, o Tribunal rejeitou o recurso e aceitou o pedido da Agência Mundial Anti-Doping (WADA), que pediu o aumento da pena para o máximo de quatro anos, válido a partir de 17 de dezembro de 2019.

O TAE também confirmou que todos os resultados de Iannone na MotoGP a partir de 01 de novembro, final de semana do GP da Malásia, foram considerados desqualificações.

A corte determinou que o piloto não havia submetido as evidências necessárias para comprovar a ingestão acidental, não conseguindo confirmar exatamente qual tipo de carne que ele havia consumido e estava contaminada.

Além disso, Iannone e seu painel de especialistas não conseguiu apresentar evidências substanciais de que havia um problema de contaminação da carne consumida na Malásia com Drostanolone - a substância que ele testou positivo.

Como resultado, sua pena por violação foi mantida e aumentada.

Até então, a Aprilia vinha defendendo publicamente Iannone, acreditando na inocência do piloto e afirmando que seu desejo era mantê-lo para 2021 caso ele conseguisse revogar a pena. Porém, a montadora precisa agora encontrar um piloto para 2021, que correrá ao lado de Aleix Espargaró.

Foi apurado que Cal Crutchlow já tinha um pré-acordo com a Aprilia, mas a equipe admitiu na semana passada que o piloto de testes Bradley Smith, que vinha ocupando a vaga de Iannone até a rodada dupla de Aragón, era uma opção.

Iannone tem uma vitória na MotoGP, no GP da Áustria de 2016 com a Ducati e, desde 2013, ele já correu também com a Suzuki, além da Aprilia.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Incomodado, Hamilton fala tudo o que pensa sobre Bottas

PODCAST: Hamilton blefa ou fala verdade ao ameaçar deixar a F1?

Your browser does not support the audio element.