Mostra de haitianos recebe mensagem com ameaça de chacina em SC

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Um email encaminhado nesta quarta (16) para a Fundação Cultural de Itajaí, em Santa Catarina, fez graves ameaças aos envolvidos na 1ª Mostra Haiti de Cultura. O texto, com teor neonazista, exige o cancelamento do evento e ameaça promover uma chacina no local.

Apesar da ameaça, a mostra foi inaugurada na quarta-feira, no Centro de Artes e Esportes Unificados do bairro São Vicente, com segurança reforçada pela Polícia Militar e pela Guarda Municipal.

Nenhum incidente foi registrado até a noite desta quinta (17), informou a prefeitura. A programação segue normalmente até sábado (19), com exposições, palestras, debates e oficinas. O reforço na segurança será mantido até o encerramento do evento.

Os autores do email, ainda não identificados, ameaçam invadir o local para "matar todo mundo que a gente pudermos (sic) alcançar". Eles se dizem defensores da raça branca e afirmam que Santa Catarina é "terra de brancos e para brancos".

"O lugar desses negros nojentos, dos índios fedorentos, dos nordestinos cabeças chatas, dos ratos judeus e da escória LGBT é longe de nossa terra europeia", diz o texto. "Não brancos, aqui não é o lugar de vocês. Vão embora de Santa Catarina e dos estados-irmãos Rio Grande do Sul e Paraná", continua a mensagem.

Há ainda ameaças nomeadas a organizadores do evento, ao prefeito da cidade, à Polícia Civil, ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ao presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Alexandre de Moraes e demais ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Após expressar apoio a caminhoneiros e fazendeiros que bloqueiam estradas em atos antidemocráticos, o grupo diz que nada os irá deter até "a vitória final". O email é assinado com a expressão 'sieg heil', que significa 'viva a vitória', uma saudação nazista.

Ele foi enviado a um veículo de comunicação local, que encaminhou a mensagem à Procuradoria do Município. O caso é investigado pela Delegacia Estadual de Repressão ao Racismo e a Delitos de Intolerância.

O email também pede "libertação e anistia" para os oito suspeitos de neonazismo presos na segunda-feira (14) em São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis. Eles estavam em um sítio onde, segundo a polícia, acontecia um encontro anual de uma célula neonazista interestadual, com integrantes dos três estados do Sul.

Em nota, a Prefeitura de Itajaí informou que a 1ª Mostra Haiti de Cultura não é realizada pelo município, embora tenha patrocínio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. A gestão afirma que repudia toda e qualquer forma de preconceito e que repassou informações às autoridades competentes para reforço da segurança e providências junto aos realizadores da Mostra.

A exposição é realizada pelo Espaço Cultural Beija-Flor Cobra Criada. O produtor do evento, Luiz Claudio Baptista, afirma que o conteúdo do email é criminoso e revoltante. "Não se pode conceber esse ódio à diversidade e à diferença. É intolerável e inaceitável."

Curadora da mostra, a produtora cultural Andrea Muller diz que, apesar do medo, em nenhum momento a organização cogitou cancelar o evento.

"Foi tenso, jogou um pouco de água fria na gente, não foi nada agradável, mas estamos tão envolvidos, sabendo da importância deste espaço, que passamos por cima, abrimos o evento. E foi lindo."

Muller conta que o projeto vem sendo construído há um ano e envolve toda a comunidade de imigrantes haitianos de Itajaí. "Eles são educados, gentis e alegres e sua cultura é muito rica."

Segundo ela, há atualmente no estado cerca de 10 mil haitianos, que chegam pelas oportunidades profissionais e são contratados principalmente por frigoríficos e empresas de pesca, construção civil e limpeza urbana.

A entrada na mostra é gratuita, e a programação tem início às 17h. Durante o evento será possível visitar a exposição Envizib, de artistas haitianos residentes e não residentes no Brasil. Entre palestras com historiadores, haverá mesas de debate sobre políticas públicas e documentação para imigrantes, rede de solidariedade e preservação da língua materna, com tradução em libras, além de oficinas e shows.