Moscou: "Não tivemos escolha" a não ser cancelar negociações nucleares com EUA

Vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Ryabkov

(Reuters) - Moscou disse nesta terça-feira que não teve "outra escolha" a não ser cancelar as negociações com os Estados Unidos sobre o "Novo Start", tratado de controle de armas nucleares, informaram agências de notícias estatais russas.

O vice-ministro das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, afirmou que Washington só queria discutir a retomada das inspeções enquanto Moscou tinha outras prioridades.

A situação na Ucrânia também influenciou a decisão de última hora da Rússia de cancelar a reunião da comissão bilateral, que deveria começar no Cairo nesta terça-feira.

"Em geral, a situação era tal que não tivemos outra escolha. A decisão foi tomada no nível político", disse Ryabkov à agência de notícias RIA Novosti.

"Os americanos se concentraram exclusivamente no tópico de retomar as inspeções... enquanto isso, a solução de outras questões foi e continua sendo uma prioridade para nós", afirmou Ryabkov, segundo a TASS.

"Explicamos repetidamente nossa posição... mas não vimos o menor desejo do lado americano de seguir nessa direção."

Ryabkov disse que Moscou quer discutir a questão mais ampla de "estabilidade estratégica" - uma área que abrange uma série de questões nucleares entre os dois países.

O tratado entrou em vigor em 2011 e limita o número de ogivas nucleares que ambos os países podem usar. Eles realizariam uma semana de negociações para retomar as inspeções sob o tratado, que foram suspensas em março de 2020 por causa da pandemia de Covid-19.

(Reportagem da Reuters)