"Amor de Mãe'" é questionada por mortes de negros: "A gente merece viver até o fim da novela"

Colaboradores Yahoo Vida e Estilo
·2 minuto de leitura
Jessica Ellen afirma que Camila continuará na educação no final da novela (Foto: Reprodução/Instagram@jessicaellen)
Jessica Ellen afirma que Camila continuará na educação no final da novela (Foto: Reprodução/Instagram@jessicaellen)

Por Halitane Rocha

A novela "Amor de Mãe" chega ao seu último capítulo nesta sexta-feira (9) com muita polêmica e ansiedade para um final feliz depois de tanto sofrimento. Nossa, não faltaram lágrimas.

Mesmo com uma boa representatividade negra no elenco, os telespectadores, e parece que nem a atriz intérprete de Camila (Jessica Ellen), ficaram contentes com tantas mortes dos personagens negros. Lucas (Nando Brandão), Marconi (Douglas Silva), Rita (Mariana Nunes), Wesley (Dan Ferreira) todos tiveram um final trágico.

Leia também

Após uma sequência de postagens sobre o caso de racismo ocorrido no "BBB21", pelo Rodolffo, Jessica compartilhou um story com a mensagem: "Parem de nos matar, na vida e na dramaturgia". A reportagem tentou contato, mas a assessoria informou que a atriz está de férias.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Para a antropóloga Izabel Accioly, 32, a brutalidade retratada em rede nacional pode afetar autoestima do povo negro.

Parece que não há futuro possível em que as pessoas negras estejam vivas

Assim como a maioria dos brasileiros, Izabel gosta de assistir a novela como um momento de relaxamento antes de dormir. “Muitas vezes a ficção ajuda a gente nesse momento de fruição, desligamento”.

Mas tanta violência banalizada deixa a antropóloga com uma reflexão. “Será mesmo que pra desenvolver bem essa personagem e pra mostrar o que é uma mulher negra, a gente precisa representar essas mulheres como pessoas tão sofridas?”

“É possível fazer essa representação de um modo positivo”, diz Izabel sobre representatividade negra (Foto: Reprodução/TV Globo)
“É possível fazer essa representação de um modo positivo”, diz Izabel sobre representatividade negra (Foto: Reprodução/TV Globo)

A antropóloga afirma que ser negro não é um problema, mas sim, a sociedade racista: “A gente merece viver até o final da novela”.

Camila, no entanto, deve ter um final feliz na trama, que termina nesta sexta (9).

“É um desfecho bom, tranquilo, feliz. Ela segue na educação. Existem várias maneiras de ser político, a política está no dia a dia, nas nossas escolhas. Tudo é um ato político. Viver é político. E a educação para a Camila é isso, é um agente de transformação. Isso é inquestionável. E ela atravessa tudo o que for necessário para manter isso vivo com ela e com os alunos. Até onde eu sei a Camila continua sendo professora não sei de nada além disso, não” ri, diz Jessica em entrevista ao podcast da Rede Globo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.