Morte de Pelé deixa apenas cinco campeões mundiais vivos de 1958

Brasil derrotou a Suécia por 5 a 2 na final da Copa do Mundo de 1958 (Foto: AFP)


A morte de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, foi confirmada nesta quinta-feira, dia 29 de dezembro, pelo hospital Albert Einstein, em São Paulo. Aos 82 anos, ele lutava contra um tumor no intestino, descoberto em setembro de 2021. Com isso, o craque era um dos seis jogadores vivos que estiveram no primeiro título mundial do Brasil, em 1958, na Suécia.

Com isso, atualmente restam cinco atletas vivos da conquista que ficou eternizada no coração do torcedor brasileiro: Zagallo, Pepe, Dino Sani, Mazzola e Moacir. Sendo assim, Mazzola reside na Itália, enquanto Moacir mora no Equador.

Naquela época, Pelé era o caçula daquele elenco que partiu em direção à Suécia para coroar uma geração. O craque tinha apenas 17 anos quando o Brasil venceu os donos da casa por 5 a 2 na decisão.

Na decisão, Pelé marcou dois gols, enquanto Vavá também estufou a rede em duas oportunidades, e Zagallo também deixou o dele. Liedholm e Simonsson descontaram para a Suécia, que sediou o torneio.

Os cinco brasileiros vivos campeões do mundo em 1958 com a Seleção:

Zagallo - atacante - 91 anos
Moacir - meia - 86 anos
Mazzola - atacante
Dino Sani - meia - 90 anos
Pepe - atacante - 87 anos

O restante dos campeões do mundo na Suécia:


Castilho - 1927-1987
Gylmar - 1930-2013
Bellini - 1930-2014
De Sordi - 1931-2013
Djalma Santos - 1929-2013
Mauro - 1930-2002
Nílton Santos - 1925-2013
Orlando Peçanha - 1935-2010
Oreco - 1932-1985
Zózimo - 1932-1977
Didi - 1928-2001
Zito - 1932-2015
Dida - 1934-2002
Garrincha - 1933-1983
Joel - 1931-2003
Vavá - 1934-2002