Morre jornalista conhecido por denunciar esquemas na FIFA e COI

·2 min de leitura
Andrew Jennings foi um dos principais críticos das entidades esportivas. Foto: Paul J. Richards/AFP via Getty Images
Andrew Jennings foi um dos principais críticos das entidades esportivas. Foto: Paul J. Richards/AFP via Getty Images

Morreu no último sábado (8), o jornalista britânico Andrew Jennings. Conhecido por investigar esquemas no futebol e também no Comitê Olímpico Internacional (COI) foi um dos primeiros a denunciar sobre o funcionamento das entidades que comandam o esporte.

Jennings tinha 78 anos e a causa da morte não foi revelada. Em suas redes sociais houve apenas uma indicação que ele sofreu de uma "doença repentina e breve".

Leia também:

O jornalista começou a se destacar antes mesmo de investigar casos nas entidades esportivas. Um dos casos mais emblemáticos de sua carreira, aconteceu em 1986, quando já trabalhando na BBC fez um documentário sobre as entranhas da Scotland Yard, polícia londrina.

A rede de televisão se recusou a difundir o documentário e o material acabou se transformando em um livro, com grande repercussão.

Já no esporte, Jennings optou por não falar somente do entretenimento, dos resultados ocorridos dentro das arenas.

Foi ele quem investigou o esquema de corrupção do brasileiro João Havelange, presidente da FIFA por mais de 20 anos. Segundo Jennings, o filho do fundador e ex-diretor da Adidas, Horst Dassler, comprou votos de delegados indecisos na primeira eleição de Havelange. Dois anos depois, o brasileiro teria retribuído o favor entregando a Dassler o poder exclusivo sobre a comercialização dos principais torneios mundiais.

Antes da realização da Copa de 2014, Jennings fez um apelo: "chegou a hora de o governo dizer para a Fifa: vocês fedem". Na CPI do Futebol, em 2015, ele alertou que "a Fifa e a CBF são entidades podres e que precisam urgentemente de um novo estatuto para que elas não tomem mais o dinheiro das pessoas", afirmou.

Já no mundo olímpico, sua principal contribuição aconteceu em 1992, quando lançou o livro "The Lords of the Rings: Power, Money and Drugs in the Modern Olympics". A publicação abalou a família olímpica, gerou a queda de cartolas, abriu uma crise e obrigou o COI a realizar uma reforma profunda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos