Moro justifica ida à PF que investiga Flavio Bolsonaro: "visita de cortesia"

Yahoo Notícias
AP Photo/Eraldo Peres
AP Photo/Eraldo Peres

Em meio a crise entre Jair Bolsonaro e a Polícia Federal, Sergio Moro, ministro da Justiça, afirmou que o combate à corrupção é um “compromisso” do governo, mas admitiu que a gestão de Bolsonaro sofreu “alguns reveses” recentemente.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Moro visitou, na última segunda-feira (26), a unidade da Polícia Federal que investiga Flavio Bolsonaro, senador pelo PSL-RJ. De acordo com o UOL, o parlamentar é investigado mediante suspeita de lavagem de dinheiro e crime eleitoral

Leia também

O ministro afirmou, também ao portal UOL, que sua ida à unidade da PF no Rio de Janeiro foi “uma visita de cortesia”, mas não confirmou se a investigação que tem como alvo o filho do presidente Jair Bolsonaro foi um dos temas tratados na ocasião.

Nesta terça-feira (27), Moro exaltou o governo de Bolsonaro para um plateia de policias federais. “O presidente Jair Bolsonaro tem compromisso com a prevenção e combate à corrupção”, disse na abertura do Seminário sobre Métodos Modernos de Combate à Corrupção, evento realizado na sede do ministério da Justiça, em Brasília.

Deixando de lado alguns atritos com o presidente Bolsonaro, que chegou a dizer que nenhum ministro em seu governo teria “carta branca", Moro reiterou os motivos que o levaram ao ministério da Justiça. "Esse foi um dos objetivos, temas centrais, que me levaram a aceitar esse convite [para o cargo]. Eu creio que o governo tenha avançado nessa área. Claro que às vezes tem alguns reveses. Más nós temos avançados no enfrentamento da corrupção".

Apesar das declarações em tom positivo, alguns policiais tem defendido que Moro peça demissão devido a grande ingerência do presidente Jair Bolsonaro em orgãos como Receita Federal e Polícia Federal.

Leia também