Momento financeiro do Corinthians gera impasse sobre contratação de Renato Gaúcho

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Nome preferido para assumir o comando do Corinthians, Renato Gaúcho esbarra na questão financeira. Valorizado, por conta do trabalho de sucesso nos últimos quatro anos que esteve à frente do Grêmio, o treinador pode não se encaixar no padrão monetário do Timão, que vive momento de forte austeridade financeira, já que possui dívida próxima a R$ 1 bilhão.

>> Confira a tabela da Copa Sul-Americana e simule os próximos jogos

De acordo com o que o LANCE! levantou, a pedida salarial do técnico neste momento gira em torno de R$ 600 e 700 mil, algo inviável para a realidade corintiana. Isso não significa que o valor já tenha chego a mesa da diretoria, mas tem a ver com a quantia apresentada em contatos recentes de outros clubes com Renato, entre eles o Santos, que, assim como o Alvinegro do Parque São Jorge, tinha o gaúcho como prioridade, após a saída de Ariel Holan.

A quantia estipulada pelo estafe de Renato Portaluppi é superior ao dobro do que recebia o ex-treinador do Timão, Vagner Mancini, demitido no último domingo (16), após eliminação na semifinal do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras.

Em contato com a reportagem, pessoas próximas à direção do Corinthians disseram que um salário mensal de R$ 600 mil para um treinador é inviável no futebol brasileiro, dizendo, inclusive, que isso só seria possível em clubes com o Palmeiras, algo que poderia esbarrar nas questões fiscais do clube. Outros contatos foram além, também alertando sobre os custos da operação, como comissões e salário do corpo técnico, que poderia fazer com que a negociação saísse ainda mais cara e extrapolasse os cofres corintianos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos