Mirassol perde 18 atletas, mas elimina São Paulo com reforço de última hora

LUCIANO TRINDADE
Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O São Paulo deu adeus ao Campeonato Paulista nesta quarta-feira (29) de forma surpreendente, ao ser eliminado pelo Mirassol, que venceu o duelo de quartas de final disputado no Morumbi por 3 a 2.

Se por um lado o resultado será tratado como vexame histórico pelos tricolores, por outro também foi uma prova de superação do time do interior. O Mirassol viu 18 atletas deixarem o elenco durante o período de mais de quatro meses em que o torneio ficou suspenso devido à pandemia do novo coronavírus.

Em meio às baixas que desfiguraram o elenco, o técnico Bruno Mota ganhou um reforço de última hora que acabou sendo decisivo para a classificação. O atacante Zé Roberto, 26, estreou justamente diante dos são-paulinos e marcou dois gols.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Nem nos meus melhores sonhos pensei nisso. Eu vim para treinar, na verdade. Vim dos Emirados [Árabes]. Acabou que ia jogar os dois primeiros jogos [na fase de grupos], mas não deu certo. Classificamos. De madrugada, me ligaram, peguei o voo, cheguei ontem, treinei e pude fazer dois gols", disse o improvável herói da noite.

Zé Roberto foi vice-artilheiro da Série B do Brasileiro de 2019, defendendo o São Bento, e passou pelo Atlético-GO antes de ir para um time dos Emirados Árabes e retornar ao interior paulista, a princípio para manter a forma física, no Mirassol.

Até esta quarta, a equipe jamais havia conseguido vencer o São Paulo em 11 duelos. A escrita começou a ser quebrada ainda no primeiro tempo, quando abriu 2 a 0 no placar com 31 minutos de jogo, em duas finalizações do estreante da noite.

Além da grande atuação do camisa 7, Daniel Borges fez o gol da vitória na segunda etapa, contando com falha do goleiro Tiago Volpi. Antes, Vitor Bueno e Pablo haviam marcado em minutos seguidos para chegar ao empate ainda antes do intervalo. Na maior parte do tempo, porém, a equipe tricolor não soube transformar o domínio da posse de bola em chances efetivas de gol.

Desde 2017 um time de menor expressão não eliminava um dos quatro clubes grandes nessa fase do Estadual. O último a conseguir isso foi a Ponte Preta, quando passou pelo Santos nas quartas de final e pelo Palmeiras na semi, mas acabou derrotada pelo Corinthians na decisão.

Com a eliminação, o São Paulo mantém o jejum de oito anos sem nenhum título. O último conquistado pelo clube foi a Sul-Americana de 2012.

No Paulista, a seca de troféus é ainda maior. Desde 2005 o caneco não vai para o Morumbi. Há 15 anos, o time que contava com Rogério Ceni no gol, Grafite no ataque e era comandado por Emerson Leão foi campeão no formato de pontos corridos.

No ano passado, o time tricolor foi à decisão, mas acabou derrotado pelo Corinthians e viu os rivais comemorarem o tricampeonato estadual.

Nesta quinta-feira (30), no complemento das quartas de final, o Corinthians enfrentará o Red Bull Bragantino, às 19h, no Morumbi. A partida será transmitida pelo Premiere. Na Vila Belmiro, o Santos duelará com a Ponte Preta, às 21h30, partida exibida pelo SporTV e pelo Premiere.

Ainda nesta quarta-feira, o Palmeiras enfrenta o Santo André, às 21h30, no Allianz Parque, com transmissão da Globo.

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Juanfran (Igor Vinícius), Bruno Alves (Everton), Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê (Paulinho Bóia), Daniel Alves e Igor Gomes (Hernanes); Alexandre Pato (Helinho), Pablo e Vitor Bueno. T.: Fernando Diniz

MIRASSOL

Kewin; Daniel Borges, Danilo Boza, Reniê e Moraes; Alison Silva, Du (Lucas Vital) e Kauan (Matheus Rocha); Juninho (Wellington), Zé Roberto (João Arthur) e Bruno Mota ()Vinicius Baracioli). T.: Ricardo Catalá

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Anderson José de Moraes Coelho

VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Cartões amarelos: Bruno Alves (SAO); Zé Roberto (MIR)

Gols: Zé Roberto (MIR), aos 19min e aos 31min, Pablo (SAO), aos 35min, e Vitor Bueno (SAO), aos 36min do 1º T; Daniel Borges (MIR), aos 34min do 2º T

Leia também