Ministra Ana Moser diz que esports não são esportes

Responsável pela pasta, Ana Moser comparou os treinos de esports com os de Ivete Sangalo.
Responsável pela pasta, Ana Moser comparou os treinos de esports com os de Ivete Sangalo. Foto: (SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)

Responsável pelo Ministério do Esporte no Governo Lula, a Ministra Ana Moser afirmou em entrevista publicada nesta terça-feira que os esportes eletrônicos não são esportes e não terão investimento pela pasta que ela gere.

Em entrevista concedida ao UOL Esporte, a Ministra disse que a categoria se enquadra mais como entretenimento do que esporte e também afirmou sua força no ano passado para que não fosse aceito na Lei Geral do Esporte: "A meu ver, o esporte eletrônico é uma indústria de entretenimento, não é esporte. Então, você se diverte jogando videogame, você se divertiu. "Ah, mas o pessoal treina para fazer". Treina, assim como o artista. Eu falei esses dias, assim como a Ivete Sangalo também treina para dar show e ela não é atleta da música. Ela é simplesmente uma artista que trabalha com entretenimento. O jogo eletrônico não é imprevisível. Ele é desenhado por uma programação digital, cibernética. É uma programação, ela é fechada, ela não é aberta, como o esporte. A questão do esporte eletrônico a nível federal ainda não é uma realidade. Não tenho essa intenção [de investir nisso]. No meu entendimento, não é esporte. A gente lutou, no ano passado, eu na minha vida pregressa, a frente da Atletas pelo Brasil, a gente fez uma ação muito forte junto ao Legislativo para o texto da Lei Geral [do esporte] não ser aberto o suficiente para poder ter o encaixe dos esportes eletrônicos. O texto está lá protegendo o esporte raiz. Na definição de esporte, tinha sido dado uma abertura que poderia incluir esporte eletrônico, e a gente fechou essa definição para não correr esse risco. Lógico, risco sempre acontece, e é um trabalho constante".

Leia também:

A Lei Geral do Esporte, de autoria do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), foi aprovada em junho do ano passado no Senado e em julho pela Câmara, mas algumas alterações sofridas farão com que o Senado tenha de apreciá-la novamente.

Apesar da decisão do COI (Comitê Olímpico Internacional) de não realizar campeonatos que não envolvam atividade física nas Olimpíadas, a entidade será sede da Semana Olímpica de Esports no ano que vem. Segundo o COI, o evento é um "grande passo no apoio ao desenvolvimento dos esportes virtuais dentro do Movimento Olímpico e no envolvimento com grandes gamers competitivos".