Mini skatistas recebem medalha de prata Rayssa Leal em chegada a terra natal

·2 minuto de leitura
GUARULHOS, SP, 28.07.2021: RAYSSA-LEAL - Rayssa Leal, a Fadinha, skatista de 13 anos, medalha de prata nas Olimpíadas de Tókio 2020, desembarca no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, na madrugada desta terça (28).

(Foto: Paulo Lopes / BW Press / Folhapress)
GUARULHOS, SP, 28.07.2021: RAYSSA-LEAL - Rayssa Leal, a Fadinha, skatista de 13 anos, medalha de prata nas Olimpíadas de Tókio 2020, desembarca no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, na madrugada desta terça (28). (Foto: Paulo Lopes / BW Press / Folhapress)

IMPERATRIZ, MA (FOLHAPRESS) - De skate na mão, Lívia Macedo, 7, esperava a medalhista olímpica Rayssa Leal no aeroporto Renato Cortez Moreira, em Imperatriz (MA). "Eu a amo porque também amo andar de skate", diz a menina.

Os olhos da garota fitavam o carro dos bombeiros que fez um breve desfile com a skatista pela cidade, mesmo diante do pedido da medalha de prata em Tóquio, na manhã desta quarta (28), para que os conterrâneos não a recepcionassem devido ao risco de contaminação por Covid-19. Pouco adiantou.

A chegada da skatista a Imperatriz, a cerca de 600 quilômetros da capital, São Luís, movimentou o município que abriga pouco mais de 260 mil habitantes. Além de Lívia, outras crianças acompanharam o evento, como Lucas Carneiro, 8. "Tô muito ansioso. Foi legal vê-la pela TV. Fiquei acordado até tarde."

O desembarque ocorreu às 11h, horas depois de a skatista chegar ao Brasil pelo aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Lá, Rayssa posou para fotos, andou de skate, foi recepcionada por Sandro Dias, o Mineirinho, diretor da Confederação Brasileira de Skate, e exibiu a medalha conquistada nas Olimpíadas.

Em Imperatriz, reencontrou o pai, Haroldo Leal, e o irmão, Arthur Leal, 7, já que durante a competição em Tóquio a atleta foi acompanhada somente pela mãe, Lilian Mendes. De mãos dadas, seguiram para a janela do aeroporto, e a menina acenou para o público que se reuniu para esperá-la.

Com o cancelamento da recepção, anunciado por Rayssa horas antes, a skatista de 13 anos participou apenas do desfile em carro aberto. A programação terminou por volta de 13h, na praça Mané Garrincha, cujas pistas de skate foram isoladas para uma apresentação da atleta, algo que também foi cancelado.

Nas redes sociais, a skatista disse que "queria muito receber o carinho de vocês, mas infelizmente não é o momento". "Cancelei minha recepção para evitar aglomeração. Então, evitem, por favor, ir ao aeroporto."

Nos cerca de 15 minutos que Rayssa permaneceu no local, ouviu gritos de "nós te amamos" e mandou beijos para os fãs que se aglomeraram ao redor do veículo. A medalhista também jogou para o público um boné oficial da seleção olímpica, item que o padeiro Joanir Pires conseguiu pegar. "Tô muito feliz. Emoção muito grande. Eu a vi crescendo aqui na praça, andando de skate, e agora recebi esse presente."

Rayssa saiu do caminhão dos bombeiros direto para um carro particular e não falou com a imprensa. A família informou que a menina vai descansar e deve se pronunciar depois, em uma entrevista coletiva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos