Minas é campeão da Superliga feminina de vôlei após vencer Praia em 5 sets

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Itambé/Minas derrotou o Dentil/Praia Clube por 3 sets a 2 (25/17, 13/25, 12/25, 25/18 e 15/11) na noite desta segunda-feira (5) e sagrou-se campeão da temporada 2020/21 da Superliga feminina de vôlei. A decisão entre os dois times mineiros foi realizada no centro de desenvolvimento da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), em Saquarema (RJ), onde as equipes se isolaram desde a fase de semifinais. O representante de Belo Horizonte teve poder de reação na série melhor de três partidas, depois de perder a primeira delas para o Praia por 3 sets a 1 (25/21, 25/12, 21/25 e 25/22) e passar sufoco no começo do segundo confronto, mas vencê-lo pelo mesmo placar (19/25, 25/20, 27/25 e 25/23). Nesta segunda, novamente o jogo teve altos e baixos dos dois lados. Foi a vez de o Minas começar forte e o Praia correr atrás do prejuízo, dominando totalmente o segundo e o terceiro sets. No quarto, a equipe da capital mineira reagiu e voltou a ser superior, o que se repetiu no tiebreak. Esse é o quarto título do Minas na competição nacional. Havia faturado a edição 2018/19 da Superliga, contra o próprio Praia, e a 2001/02, além da temporada 1992/93 (na ainda chamada Liga Nacional). A equipe comandada pelo técnico italiano Nicola Negro repete uma temporada quase perfeita, como fez antes da pandemia de Covid-19, que interrompeu a Superliga sem a definição de um campeão em 2020. A principal força do voleibol nacional na atualidade também é o atual campeão mineiro e sul-americano, ambos disputados em 2020, e da Copa do Brasil, em 2021, todos derrotando o Praia na decisão. Mesmo depois de perder as ponteiras da seleção brasileira Natália (para o Dínamo Moscou) e Gabi (para o VakifBank Istambul) após a conquista de 2019, a equipe se reforçou com a ponteira Pri Daroit e a central bicampeã olímpica Thaísa, destaques da conquista consumada nesta segunda ao lado da levantadora Macris. Thaísa, 33, foi eleita a melhor jogadora da competição. Dono da melhor campanha, com apenas uma derrota em 22 jogos na fase de classificação da Superliga, o Minas chegou à decisão como o favorito ao título, mas sofreu diante da estratégia do Praia no primeiro duelo da série. O time da capital não perdia desde 27 de novembro de 2020, quando fora derrotado pelo Osasco na primeira fase. Contra o Praia, o último tropeço até então havia sido no dia 7 de novembro de 2019, na decisão do Campeonato Mineiro. Na segunda partida da série melhor de três, o Minas bateu cabeça no começo e, mais uma vez, o Praia, liderado pela ponteira Fernanda Garay, teve início arrasador. Mas o time de Belo Horizonte contou com a boa fase de Pri Daroit, eleita a melhor da partida, para reagir diante das praianas e forçar o terceiro confronto. Agora, algumas das destaques da Superliga viram a chave para defender a seleção brasileira na Liga das Nações, a partir de maio, e na Olimpíada de Tóquio, em julho e agosto. Na quarta (7) começam as semifinais da Superliga Masculina, também com concentração e isolamento em Saquarema.