Milton Mendes reclama de expulsão e minimiza polêmica sobre pênalti

O clássico entre Vasco e Flamengo deste domingo pelo Campeonato Carioca, teve dois lances polêmicos envolvendo a arbitragem, e que foram determinantes para o resultado final da partida, que terminou empatada em 2 a 2.

O Vasco foi muito superior ao Flamengo na primeira etapa, e saiu na frente no placar com um gol de Pikachu, aos 15 minutos.

Na segunda etapa, o Flamengo crescia na partida quando aos oito minutos o atacante Luís Fabiano recebeu um cartão amarelo por falta no volante Rubro-Negro Márcio Araújo. O atacante se descontrolou e foi para cima do árbitro e acabou expulso.

Com dez em campo, o Vasco sofreu a pressão Flamengo e cedeu o empate e a virada em pouco mais de dez minutos.

Nos acréscimos, quando o duelo parecia perdido, o árbitro marcou um pênalti inexistente a favor do Vasco, alegando que a bola teria tocado na mão do lateral Renê, dentro da área.

Na coletiva após a partida realizada no Mané Garrincha, o técnico Milton Mendes defendeu seu jogador e reclamou da expulsão, mas quanto ao pênalti polêmico, minimizou o erro do árbitro.

“Luis é um excelente caráter, nosso capitão, homem que está sempre disponível para trabalhar. Lutou muito, mesmo fugindo um pouco das características dele. Ele próprio sabe o que foi feito. Todos nós vimos. Queria dizer que a agressão não existiu. Nosso jogador sentiu, estava triste, aborrecido. Situação lamentável. Nosso jogador estava fazendo um bom jogo”, disse o treinador.

Quando o assunto foi o erro do árbitro, entretanto, contemporizou. “Os árbitros, como nos todos, são seres humanos, suscetíveis a erros, naquele momento em relação ao tempo, propriamente dito, todos nós achamos que foi. Ficou a ideia no estádio inteiro de que tinha sido pênalti. Quando se recorreu aos vídeos, que ainda não estão em ação no futebol… De onde estava, eu achei que era. Achei que todas as pessoas do estádio também acharam. Errar é humano”, declarou.

Sobre a partida, Milton Mendes valorizou a atuação de sua equipe, especialmente no primeiro tempo.

“Foram dois tempos distintos. Primeiro tempo foi muito mais mérito nosso do que demérito do Flamengo. Soubemos neutralizá-los, usamos a velocidade. No segundo tempo a equipe deles teve oportunidade, tivemos uma infelicidade com o árbitro, a equipe se desestabilizou um pouco. Levamos dois gols e, então, começamos a jogar novamente depois dos 30 minutos. Acho que as coisas correram como pretendíamos. Estamos felizes com o ponto,” concluiu.