Miesha Tate condena possível duelo entre Ronda e 'Cyborg': "Seria ridículo"

Treinador de longa data de Ronda Rousey, Edmond Tarverdyan parece ter perdido o juízo. Mesmo depois de sua pupila ser derrotada em duas lutas consecutivas na pior fase da carreira, o técnico sugeriu que a ex-campeã peso-galo (61 kg) poderia fazer frente a Cris ‘Cyborg’ em sua última luta. A brasileira é considerada uma das melhores lutadoras de todos os tempos, e venceu nada menos que suas últimas oito lutas por nocaute – sem falar que o único revés nas artes marciais mistas aconteceu no longínquo ano de 2005. A proposta parece tão absurda que até Miesha Tate, aposentada, não se aguentou e condenou a sugestão do ‘professor’.

Durante o programa de rádio ‘MMA Tonight’, Miesha não escondeu a surpresa com a sugestão de Tarverdyan. Na opinião de ‘Cupcake’, esse combate não deveria nem ser cogitado pelas atletas. Tanto que até mesmo a própria Cyborg já recusou enfrentar Ronda no UFC.

“Eu preciso aplaudir a postura da Cyborg, porque ela não estaria fazendo nada mais do que bullying se aceitasse essa luta com a Ronda. Seria ridículo. Não faz nem sentido pensar em algo assim. Não acredito que o Edmond sugeriria algo tão estúpido”, declarou, antes de apontar que a luta não teria nem graça para a brasileira.

“Eu não sou uma grande fã dela [Ronda], mas eu não gostaria de ver ela ser assassinada pela Cyborg nesse ponto de sua carreira. Esse esporte não é isso. É sobre marcar combates competitivos e eu não acho que seja justo pedir algo assim. Se você cuida do seu atleta, por que você faria isso?”, apontou.

Ronda perdeu o cinturão dos galos em novembro de 2015, quando foi nocauteada por Holly Holm. A americana, então, passou um ano afastada do esporte, para voltar em dezembro de 2016 e ser derrotada novamente – dessa vez, por Amanda Nunes.