Mick Schumacher deve enfrentar primeira temporada "difícil" na F1, diz chefe da Ferrari

Redação Motorsport.com
·3 minuto de leitura

Mick Schumacher mostrou nas categorias de juniores que atingiu o auge da forma em sua segunda temporada, ganhando títulos da F3 e F2.

Perguntado sobre quais eram as suas previsões para o filho de Michael Schumacher, o chefe da Ferrari, Mattia Binotto disse: “Acho que vai ser muito difícil para ele no início. Se eu olhar para sua experiência anterior, tanto F2 quanto F3, ele está normalmente se dando melhor na segunda temporada e não na primeira.”

Leia também:

Acidente de Schumacher completa sete anos cercado de mistérios sobre estado de saúde de alemão Coulthard: se Mick Schumacher não bater Mazepin, terá grande problema Berger relembra que apenas Lauda e Schumacher tiveram sucesso na Ferrari: "Muito difícil"

“Comparado a Charles [Leclerc], Charles normalmente é muito rápido logo de cara. Acho que Mick, da forma como ele se desenvolveu, está aprendendo muito na primeira temporada e eventualmente até no início da segunda. Então ele se torna muito forte na segunda metade da segunda temporada.”

“É por isso que acho que duas temporadas serão importantes para ele. Mas já no segundo [ano], espero ver progressos em comparação com o primeiro.”

Binotto deixa claro que o programa de jovens pilotos da Ferrari não se trata apenas de preparar os pilotos para a F1 - trata-se de prepará-los para um futuro em Maranello.

“O programa da FDA [Ferrari Driver Academy] não existe para desenvolver pilotos para a F1, mas para desenvolver pilotos que um dia possam ocupar um assento na Ferrari, um carro vermelho”, disse.

“Eu acho que quando você passa da F2 e pula para a F1, o primeiro ano não pode ser diretamente em um carro vermelho, porque isso seria muita responsabilidade e pouca experiência.”

Questionado sobre o que achava que Schumacher precisava entregar na Haas nos próximos dois anos para conseguir um lugar na Ferrari, Binotto disse que a chave é consistência nas corridas e marcar pontos.

“Eu realmente espero que ele prove o quão rápido ele é no contexto da F1, tanto na classificação quanto na corrida”, disse Binotto.

“Mas é mais do que isso, provar que é muito forte no ritmo de corrida, e consistente em termos de trazer o carro para casa em uma boa posição na corrida.”

“Carlos [Sainz] é muito bom nisso. Normalmente ele está até terminando em uma posição melhor em comparação com a classificação, então é isso que você pode esperar de um piloto, e é o que espero de Mick nos próximos dois anos.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Cristiano da Matta revela APELIDO SECRETO de Rubens Barrichello no início de carreira na Europa

PODCAST: Quem ou quais foram os maiores fiascos da F1 em 2020?

Your browser does not support the audio element.