Michael Jordan: como a lenda da NBA virou inspiração para craques do futebol

Goal.com

Michael Jordan foi, indiscutivelmente, o melhor jogador da história do basquete. Seu legado inspirou não só atletas de seu esporte, mas também de outros como o futebol em diversos aspectos: desde o número que o craque usou até sua mentalidade vencedora, retratada na série Arremesso Final , parceria da ESPN com a Netflix .

O icônico número 23, usado pelo craque das quadras em quase sua carreira toda, foi utilizado por craques dos gramados em sua homenagem. David Beckham, por exemplo, usou este número em sua passagem pelo Real Madrid. Em 2012, em entrevista à ESPN , o inglês admitu que se inspirou no americano.

"Eu escolhi o número 23 por causa de Michael Jordan", disse Beckham. "Tudo o que ele representa, tudo o que ele fez em sua carreira... eu sou um grande fã".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
David Beckham Real Madrid official unveiling press conference 2003
David Beckham Real Madrid official unveiling press conference 2003

Neymar é o jogador de futebol que mais se aproximou de Jordan e sua marca nos últimos anos. Em 2016, o brasileiro chegou a lançar duas chuteiras com a Jordan, que é uma das marcas da Nike. Inclusive, foi com um destes modelos que Neymar disputou as Olimpíadas no Rio de Janeiro.

Além da chuteira, um tênis da linha de basquete foi lançado em parceria entre o brasileiro e o americano. "O melhor dos dois mundos", dizia a campanha publicitária da Jordan.

No dia do lançamento dos modelos, Neymar afirmou que Michael Jordan o inspirou ao longo de sua carreira: "A maneira de treinar, a busca pela excelência. Por tudo que ele fez sua carreira".

"A busca de ser melhor do que ele mesmo foi algo que eu tentei colocar na minha vida, no meu futebol para que, todos os dias, eu pudesse melhorar e ser melhor do que eu mesmo", completou o brasileiro.

O ex-Chicago Bulls também mostrou sua admiração por Neymar: "Ser capaz de fazer com os pés tudo o ele faz com a bola, me lembra o que eu fazia com as mãos. São poucos o que conseguem fazer isso. Neymar é, com certeza, um dos melhores", disse Jordan.

Hoje no PSG, o brasileiro abriu as portas para que a marca de Michael Jordan entrasse de vez no futebol. O clube francês já teve três camisas em parceria com o ex-jogador de basquete, além de linha de roupas casuais.

No lançamento da primeira dessas camisas, Dani Alves, que ainda atuava em Paris, exaltou o legado de Jordan: "Igual ele deixou pra gente e pra muitos da profissão dele, o meu sonho também é poder deixar o meu legado para pequenos sonhadores".

Voltando à relação entre Neymar e o ídolo dos Bulls, o Chelsea utilizou a imagem do ex-jogador de basquete para tentar convencer o brasileiro a assinar com os Blues em 2013. "[Michael] Emenalo preparou um discurso emocionante para o jogador e seu pai", diz uma publicação do site The Athletic .

"Nele, citava o legado de Michael Jordan no Chigago Bulls como um exemplo do que Neymar poderia alcançar no Stamford Bridge. Emenalo sugeriu que Neymar poderia fazer o Chelsea um time com torcedores em todo o mundo, assim como Jordan fez com os Bulls". O discurso não deu certo e o brasileiro acabou se transferindo para o Barcelona.

Renato Augusto chegou a dizer que torce para o time de Chicago porque se encantou o camisa 23 e Eden Hazard foi chamado de "Jordan do futebol" por Roberto Martínez , treinador da Bélgica.

O impacto de Michael Jordan, com certeza, vai além do basquete e é evidente que sua idolatria é mundial. Cada vez mais, a influência de um dos maiores atletas da história chega ao futebol. E isso só tende a crescer com a nova geração de ídolos dos esportes.

LeBron James é torcedor e dono de uma parte do Liverpool e admirador de outro craque do PSG, Kylian Mbappé , que também é fã do jogador do Los Angeles Lakers . Será que o impacto do "King" será o mesmo do "Goat" (sigla em inglês para Greatest of all time, melhor de todos os tempos)?

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Happy Birthday King πŸ‘‘πŸ€ @kingjames

Uma publicação compartilhada por Kylian Mbappé (@k.mbappe) em 30 de Dez, 2019 às 8:20 PST

Leia também