Messi mudou dieta, largou pizzas e se recuperou de vômitos e lesões

Lateral brasileiro do Las Palmas, que vai enfrentar o camisa 11 azul-grená neste domingo, fala sobre talento do rival

Apesar de já estar com 30 anos, Lionel Messi não dá sinais de envelhecimento, pois o rendimento físico é o mesmo de sempre. Basta ver o gol que ele fez contra o Real Madrid, no domingo passado (23): foi um lance de velocidade nos acréscimos do 2º tempo. E há uma explicação simples para isso: a dieta especial que Messi tem seguido há dois anos. O craque do Barcelona até aboliu as pizzas do cardápio e vê os bons resultados disso.

A alimentação do argentino foi revelada pelo médico italiano Giuliano Poser em entrevista ao UOL: "há um conjunto de cinco alimentos que defino como gasolina: água, um bom azeite de oliva, cereais integrais, frutas e verduras frescas biológicas. Também passei frutos secos e sementes. Ele (Messi) também precisou controlar o açúcar, o pior que existe para os músculos e consumir menos carne vermelha, outra grande dificuldade para um argentino", ressaltou Poser.

A mudança em relação a pizza e outros problemas de alimentação aconteceu por causa de críticas que surgiram em 2015: "antes ele comia no clube e descansava depois, mas me parece que no ano passado Messi comeu mais pizzas do que queria ou precisava", afirmou Carlos Rexach, integrante da comissão técnica do Barcelona. 

A nova dieta contribuiu para que Messi parasse de vomitar em campo e até reduziu as lesões do atacante. Desde que ele começou com a nova alimentação, só sofreu um estiramento na coxa, que o tirou de campo por três semanas. 

Poser é humilde sobre sua participação no sucesso do atacante, mas sabe que contribui de alguma forma: "não vou melhorar um fenômeno como Messi por comer de determinada forma. Mas podemos fazer com que ele siga sendo o Messi durante mais tempo".