Homem mais rápido do mundo foi motivado por pai que nunca conheceu

·1 minuto de leitura
Italiano Lamont Marcell Jacobs comemora após ganhar a final dos 100 (Foto: Tim Clayton/Corbis via Getty Images)
Italiano Lamont Marcell Jacobs comemora após ganhar a final dos 100 (Foto: Tim Clayton/Corbis via Getty Images)

O italiano Lamont Marcell Jacobs teve um domingo (1) de grandes lembranças. Tornou-se o homem mais rápido do mundo ao vencer a prova dos 100 m, título que pertencia ao ex-atleta Usain Bolt. Antes da prova, no entanto, Jacobs teve uma motivação a mais: uma mensagem do pai, a quem nunca viu, dizendo que ele conseguiria esse resultado.

"Nasci no Texas e, quando estava com cinco meses, voltei para a Itália com a minha mãe. Meus pais se separaram quando eu tinha essa idade. Eu nunca vi meu pai desde então, não o conheço. Eu comecei a falar com ele há alguns anos. Isto me ajudou a chegar aqui com uma mentalidade boa", disse Jacobs. Eles compartilham o mesmo nome. 

Leia também:

Considerando "Júnior" por compartilhar o nome do pai, Lamont contou que essa ligação, embora não se vejam, é uma grande motivação quando compete. É que, entre os dois, existe um elo apesar da distância. Segundo ele, muitas vezes vieram questões sobre quem seria o seu pai ou pessoas fizeram a pergunta como se fosse algo pejorativo. 

"Me ajuda mentalmente tê-lo presente, porque nos entendemos. Eu vivi toda minha vida e perguntavam 'quem é seu pai?' Eu não sei, eu não sei'. Nós tentamos reiniciar nossa relação. Para mim foi muito importante", revelou.

O italiano fez a prova em 9s80. O pódio foi completado pelo americano Fred Kerley, com 9s84, e o canadense Andre de Grasse, 9s89.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos