Menina do Borel que treinava na laje de casa diz não ao Flamengo

·1 min de leitura

RIO — Depois de receber um convite para conhecer e fazer um teste no Flamengo e ser aprovada, Ana Luísa Batista, de 12 anos que treinava ginástica artística na laje de casa, no Morro do Borel, decidiu junto com a família dizer não ao Rubro Negro. Ana continuará a treinar no Stúdio Espaço Físico (Sef) em Vila Valqueire. O Sef foi o primeiro a abrir as portas para Ana Luísa assim que as primeiras reportagens sobre o desempenho da menina que viralizou nas redes sociais terem sido publicadas.


— O Flamengo ofereceu uma bolsa para que ela treinasse no que entendemos que seria uma escolinha. Mas antes de ficar conhecida por todos, ela já está sendo treinada para competir no Sef desde o dia 4 de janeiro, onde recebeu uma bolsa Por questão de princípios e por escutarmos o que a Ana quer decidimos deixá-la no Sef. Nem sempre o que é bom para o adulto é bom para a criança — explicou Cristiane Batista, mãe de Ana Luísa.


Cristiane contou que como a filha estuda de manhã, ela continuará a treinar na parte da casa. O deslocamento de mãe e filha para os treinos continuará a ser de ônibus.


Além de aceitar a oferta do SEF, Ana Luísa ganhou uma bolsa para estudar em um colégio particular depois da repercussão de sua história.


Nesta terça-feira, a pequena ginasta esteve no ginásio do Flamengo onde foi oferecida uma bolsa para que treinasse no clube, por tempo indeterminado. Procurado pelo GLOBO, o Flamengo não comentou a decisão da família da ginasta de não aceitar o convite.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos