Melhores momentos da ginástica brasileira nas Olimpíadas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Arthur Zanetti, do Brasil, compete na final de argolas da ginástica artística nas Olimpíadas Rio 2016, no Rio de Janeiro.
Arthur Zanetti, do Brasil, compete na final de argolas da ginástica artística nas Olimpíadas Rio 2016, no Rio de Janeiro. (Foto: REUTERS/Mike Blake)

Uma das maiores potências da ginástica artística masculina nos últimos anos. É assim que a equipe do Brasil chega para as Olimpíadas de Tóquio. Com três medalhas olímpicas e o atual campeão mundial da barra fixa, os brasileiros chegarão no Japão podendo seguir no pódio. 

Leia também:

Relembre os 5 melhores momentos do Brasil na ginástica artística masculina nas Olimpíadas

1º - Arthur Zanetti - Ouro nas Argolas em Londres-2012

A primeira não se pode esquecer. Nas Olimpíadas de Londres, em 2012, Arthur Zanetti chegou para a final das argolas como um dos ginastas que brigaria por um lugar no pódio. Contudo, com uma apresentação quase perfeita, o brasileiro conseguiu um 15.900 e foi o melhor do aparelho. O resultado deu ao Brasil a primeira medalha de sua história em Jogos Olímpicos na modalidade.

Medalha de ouro, o ginasta brasileiro Arthur Nabarrete Zanetti (ao centro), o medalhista de prata da China Chen Yibing (à esquerda) e o medalhista de bronze do italiano Matteo Morandi celebram no pódio da final das argolas masculinos do evento de ginástica artística dos Jogos Olímpicos de Londres em 6 de agosto de 2012. (Foto: BEN STANSALL / AFP / GettyImages)
Medalha de ouro, o ginasta brasileiro Arthur Nabarrete Zanetti (ao centro), o medalhista de prata da China Chen Yibing (à esquerda) e o medalhista de bronze do italiano Matteo Morandi celebram no pódio da final das argolas masculinos do evento de ginástica artística dos Jogos Olímpicos de Londres em 6 de agosto de 2012. (Foto: BEN STANSALL / AFP / GettyImages)

2º - Arthur Zanetti - Prata nas Argolas na Rio-2016

Depois do ouro “inesperado” nas Olimpíadas de Londres, Arthur Zanetti se colocou como referência em todo o ciclo para a edição do Rio de Janeiro. Competindo em casa, o brasileiro conseguiu se manter no pódio das argolas. Com 15.766, Zanetti ficou com a medalha de prata, atrás somente do grego Eleftherios Petrounias que fez 16.00.

O medalhista de prata Arthur Zanetti, do Brasil, comemora no pódio na cerimônia de medalha das argolas masculinos no dia 10 dos Jogos Olímpicos Rio 2016 na Arena Olímpica do Rio em 15 de agosto de 2016 no Rio de Janeiro, Brasil. (Foto de Laurence Griffiths / Getty Images)
O medalhista de prata Arthur Zanetti, do Brasil, comemora no pódio na cerimônia de medalha das argolas masculinos no dia 10 dos Jogos Olímpicos Rio 2016 na Arena Olímpica do Rio em 15 de agosto de 2016 no Rio de Janeiro, Brasil. (Foto de Laurence Griffiths / Getty Images)

3º - Diego Hypolito - Prata no solo na Rio-2016

“Eu caí de bunda, de cara e agora eu caí no pódio”. A frase é de Diego Hypolito após a conquista da prata nas Olimpíadas de 2016. Em sua terceira edição olímpica da carreira, o brasileiro, que chegou para os Jogos Olímpicos de Pequim-2008 e Londres-2012 como um dos favoritos e não conseguiu a medalha, conseguiu. Na disputa do solo, seu aparelho preferido, Diego conseguiu 15,533 de nota e foi o segundo colocado.

O brasileiro Diego Hypolito comemora no pódio da final do evento de solo masculino da ginástica artística na Arena Olímpica, durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, no Rio de Janeiro em 14 de agosto de 2016. (Foto: BEN STANSALL / AFP via Getty Images)
O brasileiro Diego Hypolito comemora no pódio da final do evento de solo masculino da ginástica artística na Arena Olímpica, durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, no Rio de Janeiro em 14 de agosto de 2016. (Foto: BEN STANSALL / AFP via Getty Images)

4º - Arthur Nory - bronze no solo na Rio-2016

Primeira participação nas Olimpíadas, primeira medalha. Arthur Nory chegou para a edição do Rio de Janeiro como um dos atletas que poderia surpreender e brigar por uma medalha, e foi o que aconteceu. Aos 22 anos de idade, o ginasta terminou sua participação na final do solo com a nota de 15,433 e ficou com o bronze, a quarta medalha da história do Brasil na ginástica em Olimpíadas.

O ginasta brasileiro Arthur Nory, que foi medalhista nos Jogos Olímpicos Rio 2016 durante uma coletiva de imprensa no Rio de Janeiro, Brasil, no dia 20 de agosto de 2016, para falar sobre os desafios do esporte. (Foto de Luiz Souza / NurPhoto via Getty Images)
O ginasta brasileiro Arthur Nory, que foi medalhista nos Jogos Olímpicos Rio 2016 durante uma coletiva de imprensa no Rio de Janeiro, Brasil, no dia 20 de agosto de 2016, para falar sobre os desafios do esporte. (Foto de Luiz Souza / NurPhoto via Getty Images)

5º - Equipe masculina - 6º lugar na Rio-2016

Em casa, o Brasil conseguiu ter uma equipe masculina completa nas Olimpíadas pela primeira vez. Com Arthur Nory, Arthur Zanetti, Diego Hypolito, Francisco Barreto e Sergio Sasaki, o Brasil conseguiu se classificar para a final e terminou os Jogos Olímpicos com o sexto lugar geral, com 268.078.

Equipe Brasil, (da esquerda para a direita) Diego Hypolito, Francisco Barretto Junior, Arthur Mariano, Sergio Sasaki e Arthur Zanetti comemoram após a qualificação por Equipe Masculina de Ginástica Artística no primeiro dos Jogos Olímpicos Rio 2016, na Arena Olímpica do Rio, em 6 de agosto de 2016. (Foto: Alex Livesey / Getty Images)
Equipe Brasil, (da esquerda para a direita) Diego Hypolito, Francisco Barretto Junior, Arthur Mariano, Sergio Sasaki e Arthur Zanetti comemoram após a qualificação por Equipe Masculina de Ginástica Artística no primeiro dos Jogos Olímpicos Rio 2016, na Arena Olímpica do Rio, em 6 de agosto de 2016. (Foto: Alex Livesey / Getty Images)
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos