Melhor mandante do Brasileirão, Atlético-PR perde força na Arena

NAPOLEÃO DE ALMEIDA

CURITIBA, PR (UOL/FOLHAPRESS) - Trunfo histórico do Atlético Paranaense, a Arena da Baixada não tem repetido seu poder de pressão nesse início de 2017. Depois de fechar o Brasileirão do ano passado como o melhor mandante do País -aproveitamento de 84,2% dos pontos,

com 15 vitórias, 3 empates e apenas 1 derrota em casa, o time paranaense foi tema de debates acalorados sobre a vantagem ou não que levaria por ter grama sintética em seu piso; alguns poucos optaram por valorizar a melhor defesa do campeonato, que, ao lado do Palmeiras, levou apenas 32 gols. Seja como for, 2017 tem sido frustrante para o atleticano que vai aos jogos em casa.

Em seis partidas na Arena da Baixada, foram apenas duas vitórias, contra o Millonários (1-0) e o Coritiba (2-0). Nos demais jogos a equipe esbarrou nos adversários, tanto pela Libertadores quanto pelo Paranaense. Os nem tão badalados PSTC, Toledo e Deportivo Capiatá, bem como a tradicional Universidad Católica, deixaram Curitiba celebrando a igualdade. Um aproveitamento de 55%.

É verdade que as equipes que têm entrado em campo são diferentes. Os titulares disputam a Libertadores e os reservas encaram o Paranaense. Os dois times, no entanto, obtiveram uma vitória e dois empates nos jogos em casa em cada competição. Proibida para 2018 no último congresso técnico do Campeonato Brasileiro, a grama sintética não foi problema para quatro dos rivais que estiveram na Baixada.

Se a grama sintética tem sido indiferente aos adversários, a defesa atleticana, porém, não é mais a mesma. O time que havia levado apenas seis gols em 19 rodadas na Arena no Brasileirão já levou sete nesse início de ano, nos seis jogos disputados. Dos 7, cinco deles foram sofridos pelo time titular, praticamente o mesmo que disputou o Brasileirão.