"Quanto melhor for, mais te criticam", diz Zidane sobre trio 'BBC'

O técnico do Real Madrid Zinedine Zidane em coletiva de imprensa na Alemanha,no dia 11 de abril de 2017

O francês Zinedine Zidade, técnico do Real Madrid, defendeu o trio ofensivo formado por Bale-Benzema-Cristiano Ronaldo, e disse que "quanto melhor você é, mais te criticam", garantindo que os atacantes não tem medo do jogo contra o Bayern de Munique.

- Você foi auxiliar de Carlo Ancelloti no Real Madrid... Quem conhece melhor o outro: você ou Ancelotti?

"Eu o conheço muito bem e ele também me conhece, mas isso não quer dizer nada. Amanhã temos jogo e dois grandes times vão se enfrentar. Nada mais. Carlos eu não vamos jogar".

- Qual estratégia você espera de Ancelotti?

"É um time que sabe controlar os jogos dentro e fora de casa, sempre com intensidade. O mais importante para nós é fazer o que temos que fazer. É importante entrar bem no jogo".

- Criticaram muito o trio BBC ultimamente. O orgulho deles está ferido?

"São jogadores com muito talento e experiência, por isso são criticados. Quanto melhor você é, mais te criticam. Eles sabem disso. Têm muita personalidade e caráter, são os jogadores que não têm medo desse tipo de jogo. Pelo contrário, eles ficam motivados".

- Em 2014, o Real Madrid goleou por 4 a 0 o Bayern fora de casa e o BBC jogou muito bem no contra-ataque. Acha que podem repetir a atuação nesta quarta-feira?

"Vamos tentar. Mas temos um time inteiro, não só três atacantes. Conhecemos sua importância, mas temos um bloqueio muito sólido e equilibrado. Vamos jogar pra vencer, como sempre. O que aconteceu há três anos faz parte do passado. Foi espetacular, e eu era auxiliar na época. Mas o adversário mudou, é mais forte. É outro jogo".

- Depois de três meses de lesão, Gareth Bale recuperou a forma habitual?

"Está se aproximando ao nível pouco a pouco. Espero que amanhã, quarta-feira, a gente possa ver sua melhor versão. É um jogo importante para ele".

- A possível ausência de Robert Lewandowski pode mudar o jogo?

"Primeiro precisamos ver se ele joga ou não. Nós preparamos o jogo como se ele fosse estar em campo. Mas se não joga, quem entrar no lugar vai jogar muito bem também".