Meia holandês celebra protesto da Alemanha antes do jogo de estreia na Copa


O meia holandês Davy Klaasen celebrou o gesto dos jogadores da Alemanha, que cobriram a boca com a mão antes do início da partida contra o Japão, nesta quarta-feira, em protesto contra a proibição da Fifa de que os capitães usarem a braçadeira 'One Love' da comunidade LGBTQ+ na Copa do Mundo do Qatar.

- Como um grupo, você pensa em fazer o mesmo. Em princípio pensamos que poderia ser bonita a iniciativa da declaração 'One Love' que pensamos aqui em Doha com sete países. Se fizermos algo, tem que ser feito de uma boa maneira e tem que chamar a atenção. O que os alemães fizeram foi uma forma original de contribuir para a causa. Ainda não nos encontramos para falar sobre isso. Nos encontramos uma vez e não conversamos sobre isso em detalhes - disse o jogador do Ajax.

+ Confira e simule a tabela da Copa do Mundo

A Holanda se prepara para seu segundo compromisso no Mundial, após ter vencido o Senegal na estreia. Na próxima sexta enfrentará o Equador, que venceu o Qatar na estreia, e com quem divide a liderança do grupo A.

Klaasen no banco de reservas contra Senegal, mas entrou em campo e na reta final do segundo tempo fez o gol da vitória.

- Estamos focados no Equador. Vai ser um jogo diferente do Senegal. Vimos contra o Qatar e não sei em que nível eles vão jogar contra nós. Um dos pontos fortes deles é a velocidade e estamos atentos para isso - analisou.

Ele espera que o gol e o nível mostrado nos minutos que atuou na primeira rodada o recompensem com um lugar no time titular nos próximos jogos.

- Você sempre quer estar em campo. De qualquer forma, acho que sempre tenho uma oportunidade. Já fui titular muitas vezes e por isso a situação pode mudar novamente. O treinador é muito claro sobre o que pensa e quer do jogador. Espero recuperar esse lugar - concluiu.