Medvedev brilha no US Open, conquista 1º Slam e barra feitos de Djokovic

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - No dia em que Novak Djokovic esperava escrever um dos maiores capítulos da história do tênis, Daniil Medvedev mostrou que o protagonismo da final do US Open seria decidido na quadra, por quem jogasse melhor.

Indiscutivelmente, esse tenista foi o russo, que com uma performance dominante e surpreendente venceu o sérvio por 3 sets a 0 (6/4, 6/4 e 6/4), em 2 horas e 15 minutos de jogo.

O único susto ocorreu após ser quebrado ao sacar para o jogo e ter match point, mas ele ainda possuía vantagem para se recompor e fechar a partida sem perder sets --teve apenas uma parcial perdida ao longo do torneio.

Essa foi a terceira final de Medvedev, 25, em um torneio do Grand Slam, e seu primeiro título nesse nível após derrotas para Rafael Nadal, no US Open de 2019, e Djokovic, no Australian Open deste ano.

Já o sérvio perdeu a chance de alcançar dois dos maiores feitos possíveis no esporte de uma só vez.

Ele buscava se tornar apenas o sexto tenista da história a fechar o Grand Slam na chave de simples, ou seja, vencer os quatro principais torneios do circuito (Australian Open, Roland Garros e Wimbledon são os outros) no mesmo ano, e também quebrar o recorde masculino de 20 títulos. Com a derrota, permaneceu empatado nas duas dezenas com Roger Federer e Nadal.

Ao longo da história, três tenistas fecharam o Grand Slam antes da era profissional: os americanos Don Budge (1938) e Maureen Connolly (1953) e o australiano Rod Laver (1962).

Laver, que assistiu ao jogo deste domingo no estádio Arthur Ashe, repetiu a façanha em 1969, já no profissionalismo, e foi seguido pela compatriota Margaret Court (1970) e pela alemã Steffi Graf (1988), que ainda venceu o torneio dos Jogos Olímpicos de Seul no mesmo ano e obteve o único Golden Slam da história.

Djokovic já havia perdido essa oportunidade ao ser derrotado nas semifinais das Olimpíadas de Tóquio pelo alemão Alexander Zverev e agora sofreu uma segunda decepção consecutiva após vitórias empolgantes na Austrália, em Roland Garros (contra Nadal) e Wimbledon (diante de Matteo Berrettini).

Concentrado na sua própria história, Medvedev tornou-se apenas o segundo tenista nascido nos anos 1990 a vencer um Slam. O primeiro foi Dominic Thiem, 28, que derrotou Zverev na final do ano passado.

Djokovic foi desclassificado daquele torneio por ter acertado uma bolada não intencional na juíza de linha em jogo das oitavas de final. Derrotar o sérvio dessa maneira, numa decisão com tantas coisas em jogo, adiciona um peso ainda maior à conquista de Medvedev.

O último a derrotar Federer, Nadal ou Djokovic numa final de Slam, que não outro atleta desse trio, havia sido o suíço Stan Wawrinka, 36, ao bater o sérvio no US Open de 2016.

Isso ajuda a dimensionar o tamanho do feito de Medvedev neste domingo. Vice-líder do ranking, ele se firma como o principal nome de sua geração, depois de conquistar também quatro títulos de Masters 1.000 e um do ATP Finals, em 2020.

O russo de 1,98 m de altura e técnica peculiar --desengonçada, para alguns--, que esconde sua rara combinação de potência e agilidade, nunca foi o mais badalado dos tenistas da sua faixa de idade, mas cresceu a cada ano no circuito profissional.

Conhecido pelo comportamento irascível no início, o atleta que fez parte de sua formação esportiva na França também aprendeu a controlar os nervos (exceção aos games finais, em que sobreviveu), algo que Djokovic não conseguiu fazer neste domingo, sendo engolido tecnicamente e mentalmente pelo adversário.

A última tenista a ficar tão perto do Grand Slam e também não conseguir fechá-lo foi Serena Williams, derrotada pela italiana Roberta Vinci nas semifinais do US Open de 2015, após ter vencido os três torneios anteriores.

TENISTAS QUE FECHARAM O GRAND SLAM EM SIMPLES Don Budge (1938)

Maureen Connolly (1953)

Rod Laver (1962 e 1969)

Margaret Court (1970)

Steffi Graf (1988) - também venceu o torneio olímpico e alcançou o único Golden Slam

TENISTAS COM MAIS TÍTULOS DE GRAND SLAM ENTRE OS HOMENS 1º Roger Federer 20

1º Rafael Nadal 20

1º Novak Djokovic 20

4º Pete Sampras 14

5º Roy Emerson 12

6º Rod Laver 11

6º Björn Borg 11

8º Bill Tilden 10

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos