Medidas de Bolsonaro durante crise do coronavírus são reprovadas por 66% dos paulistanos

Yahoo Notícias
Para 66% dos paulistanos, Presidente Jair Bolsonaro tomou medidas inadequadas no combate ao coronavírus (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
Para 66% dos paulistanos, Presidente Jair Bolsonaro tomou medidas inadequadas no combate ao coronavírus (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)

A maior parte dos paulistanos reprova as medidas tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro durante a crise do coronavírus. Segundo pesquisa da Rede Nossa São Paulo com o Ibope Inteligência, 66% dos moradores da cidade de São Paulo consideram que as atitudes de Bolsonaro não são adequadas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O índice cresceu 11 pontos percentuais em relação ao mês anterior, abril, quando foi feita a primeira edição da pesquisa.

As entrevistas foram feitas online entre os dias 21 de maio e 1º de junho com internautas a partir de 16 anos, todos das classes ABC com moradores da capital paulista.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Reprovação das medidas tomadas pelo governador João Doria e pelo prefeito Bruno Covas também cresceu: em abril, tanto Doria quanto Covas tinham 68% de aprovação nas ações tomadas para conter o coronavírus, enquanto em maio o índice caiu para 51%.

No âmbito federal, a queda de aprovação das medidas do ministério da Saúde também caiu de forma mais expressiva. Em abril, 71% da população aprovavam a atuação da pasta na tentativa de controlar o coronavírus, enquanto em maio o índice caiu para 53%.

Leia também

Nenhuma autoridade teve crescimento na aprovação das ações que fizeram para conter a pandemia do coronavírus. Isso inclui o ministério da Economia, Congresso Nacional, Deputados Estaduais e também Vereadores da cidade de São Paulo.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também