Medalhista olímpico australiano é condenado por tráfico de drogas

Scott Miller ganhou suas medalhas nos Jogos de Olímpicos de Atlanta em 1996. Foto: Al Bello/Allsport
Scott Miller ganhou suas medalhas nos Jogos de Olímpicos de Atlanta em 1996. Foto: Al Bello/Allsport

O ex-nadador Scott Miller, duas vezes medalhista olímpico nos Jogos de Atlanta em 1996, foi condenado a cinco anos e seis meses de prisão por desempenhar um "papel central" em uma rede de tráfico de drogas.

Miller, 47 anos, foi sentenciado no Tribunal Distrital de Nova Gales do Sul ao lado de Wayne Allan Johnson e Justin Szabolics, que também se declararam culpados de várias acusações, incluindo fornecimento de metanfetamina e heroína e participação em um grupo criminoso.

Leia também:

Miller viu a sentença incluir um período sem liberdade condicional de três anos, começando na data de sua prisão em fevereiro de 2021.

O nadador ganhou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta 1996 nos 100 metros borboleta. Ele também foi membro da equipe australiana de revezamento que levou o bronze no 4x100. Além disso, foi ouro nos 100 metros borboleta na Copa do Mundo do Rio de Janeiro em 1995.

O australiano foi preso em 16 de fevereiro de 2021 após uma investigação policial que o colocou à frente de um grupo criminoso que fornecia drogas. Em sua casa, eles descobriram heroína, vários telefones celulares e mais de US$ 72.000 escondidos em uma bolsa.

A juíza Penelope Hock, na sentença, reconheceu que Miller sofria de problemas de saúde mental que começaram quando ele foi morar e treinar no Instituto Australiano de Esportes aos 15 anos. “Esses problemas continuaram por anos e pelo menos contribuíram para seu abuso de substâncias”, disse ela ao tribunal, segundo o jornal Sydney Morning Herald.

Também foi comprovado que o uso pessoal de drogas de Miller aumentou depois que ele se aposentou da natação em 2004, e que o fechamento de seu negócio de caminhões durante a pandemia contribuiu ainda mais para a deterioração de sua saúde mental.