McLaren fecha acordo de empréstimo de R$1 bi com banco do Bahrein

Jonathan Noble
motorsport.com

O Grupo McLaren, que inclui o programa de automobilismo e da Fórmula 1 e os negócios de carros de rua, foi fortemente atingido pelo impacto da pandemia. Desde o início do ano, o Grupo está em busca de formas de financiamento para manter suas operações e, nesta segunda, parece ter encontrado uma luz no fim do túnel ao garantir um acordo de empréstimo bilionário.

Recentemente, o grupo tentou refinanciar suas operações para superar as dificuldades a curto prazo, mas foi barrado por credores que impediram a marca de arrecadar fundos através da liberação de itens como a coleção de carros e as propriedades.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

Mercedes revela nova pintura preta para 2020 em campanha contra o racismo e pela diversidade no esporteAlonso e Vettel estão em disputa pela vaga de Stroll na Aston Martin, diz jornal italianoStock Car abre a temporada no próximo domingo, em Cascavel; conheça o protocolo de segurança

A urgência da situação levou o grupo aos tribunais nas últimas semanas para garantir a continuidade de seu plano, com documentos revelando que, caso a companhia tivesse o refinanciamento bloqueado, ela poderia enfrentar grandes problemas.

Foi sugerido que, caso não fosse possível levantar 280 milhões de libras (cerca de R$1,9 bilhão) até 17 de julho, haveria o risco de insolvência.

Enquanto a McLaren foi bem sucedida ao conseguir uma aceleração do julgamento no Reino Unido, a empresa também abriu uma negociação com o Banco Nacional do Bahrein para conseguir um empréstimo. 44% das ações do banco pertencem ao Fundo Soberano do país, o Mumtalakat Holding Company, que também detém 56% das ações da McLaren.

Na segunda, o Banco divulgou um comunicado à bolsa do Bahrein confirmando que o empréstimo havia sido liberado.

O comunicado diz: "O Banco Nacional do Bahrein confirma aos mercados que a documentação final foi assinada e todas as aprovações necessárias foram dadas em relação ao empréstimo de 150 milhões de libras [cerca de R$1 bi]".

O empréstimo deve dar à McLaren algum alívio em sua busca pelo financiamento necessário para o outro plano, o de refinanciamento, e também servirá como um amortecedor, já que as operações de automobilismo devem aumentar nas próximas semanas, principalmente com o início da F1 na Áustria.

VÍDEO: Entenda por que Ricciardo e McLaren podem lutar pelo topo da F1

PODCAST: F1 pronta para volta! Sérgio Sette Câmara explica como será protocolo detalhado

Your browser does not support the audio element.

Leia também